Sulfato de Níquel no Início do Século XX

Sulfato de níquel

Sulfato de níquel

No inicio do século XX o níquel, através do processo de  eletrodeposição, se tornou popular, e foi considerado um símbolo de luxo e eficiência. Um dos marcos da história neste período foi o aprimoramentos dos banhos de deposição rápida, que continuam o sulfato de níquel.

A eletrodeposição dos banhos de deposição rápida continham além do sulfato de níquel, cloreto de níquel e ácido bórico. No inicio do século passado estes banhos ficaram conhecidos como banho de níquel tipo Watts. Estes apresentavam soluções mais concentradas.

No caso do sulfato de níquel este apresentava a solução NiSO4.6H2O . 240 a 300 g/L. O cloreto de níquel e ácido bórico apresentavam as soluções respectivamente: NiCl2.6H2O . 40 a 60 g/L e H3BO3 . 25 a 40 g/L, com pH 1,5 a 4,5.

O sulfato de níquel é o mais usados nos banhos de galvanoplastia por ser a principal fonte de íons  Ni 2+. Com a finalidade comercial, o sulfato de níquel é obtido em alta pureza e geralmente apresenta um valor abaixo do cloreto de níquel.

O componente químico sulfato de níquel, não tem como característica ser instável, por isso apresenta possui alta solubilidade e seus ions são excelentes para os banhos de níquel, já que são instáveis para as condições operacionais.

Um detalhe é que o sulfato de níquel em relação a sua corrosividade nos produtos metálicos é menor do que a do cloreto de níquel, quando usados no processo de niquelação.

Uma curiosidade é os banhos de níquel que utilizam apenas o sulfato de níquel, cloreto de níquel e ácido bórico, apresentam camadas grosas e granuladas sobre o produto que recebeu o processo químico. Por isso, para um acabamento melhor é necessário que se faça um polimento sobre a superfície em questão. Assim a apresentação do produto será melhor e terá a característica brilhante.