Recuperação Judicial

Recuperação Judicial

Recuperação Judicial

O número de empresas em funcionamento hoje em dia são extraordinárias, porém é necessário saber que também há muitos negócios estagnados, devido a problemas ocorridos durante a sua trajetória, sendo que muitos destes são extremos, assim como a falência, que acaba por fazer com que muitas empresas encerrem seus serviços ou produtos distribuídos por falta de condições de mantê-las.

A recuperação judicial é um serviço que pode auxiliar os donos das empresas a continuarem com seus negócios sem alguma preocupação, eliminando a situação de falência, pois o mesmo trata-se de uma medida legal que é aplicada por profissionais especializados na área, que tem como intuito fazer com que a empresa não caminhe para a falência, ou seja, salvá-la de um problema que acaba encerrando muitas atividades, fazendo com que o dono do negócio possa procurar e apresentar maneiras diferenciadas e alternativas de pagar as dívidas que o mesmo possui, podendo ser aceitas ou não mediante a um juri que irá avaliar o que foi proposto.

Como citado acima, a recuperação judicial é uma medida legal, sendo que a mesma sofreu algumas alterações segundo a Lei de Falências, que entrou em vigor no ano de 2005, sendo que a mesma afirma que todos os proprietários de empresas, que antes tinham somente algumas horas para apresentar e quitar suas dívidas, agora possuem condições de entrar na justiça oferecendo meios alternativos para este fim, com um prazo maior de cinco dias até a resolução do problema, possuindo a possibilidade de recuperação judicial, fazendo com que o negócio não caminhe para a falência.

A vantagem que a recuperação judicial oferece é que as empresas de qualquer porte podem solicitar e seguir as medidas estipuladas na Lei de Falências, sendo que as micro, pequenas, médias, grandes e até multinacionais poderão requisitar os meios alternativos para a quitação de dívidas. Mesmo que a lei seja aplicada para as empresas de todos os portes, existem algumas especificidades que devem ser cumpridas, assim como um advogado para comanda o caso, além de parcelas que são disponibilizadas para o pagamento, sendo que as empresas maiores necessitam de alguns itens adicionais para colocarem a recuperação judicial em ação.