Reaproveitamento nas indústrias

Hoje a moda é reutilizar tudo, evitando o consumo de recursos naturais - e os paletes são produtos que podem muito bem voltar ao ciclo produtivo.

Hoje a moda é reutilizar tudo, evitando o consumo de recursos naturais – e os paletes são produtos que podem muito bem voltar ao ciclo produtivo.

Estamos, indiscutivelmente, na era do reaproveitamento de materiais. Após a crise de consciência da humanidade sobre a limitação dos recursos e do quanto já utilizamos do mesmo – muitas vezes, de forma até leviana -, muitas pessoas passaram a contribuir de alguma forma para tentar frear a extração desenfreada de matéria-prima de seu leito original.

Mas não só as pessoas físicas iniciaram o processo de reutilização de materiais: também as indústrias, umas por conscientização ecológica, outras por mera propaganda (mas também é um motivo válido) passaram a reutilizar todo o material possível e reutilização. De papeis dispensados a paletes do setor de estoque, tudo aquilo que é possível ser reutilizado de alguma forma, o é.

Reusa tudo!

Na verdade, em uma empresa há muito material possível de ser reutilizado, mas a percepção desse fato nem sempre vem rápido.

A quantidade de papeis jogados fora por uma razão qualquer é muito grande – na verdade, estima-se que um terço do papel comprado por uma empresa é jogado fora por erros de documentação (de digitação, por exemplo, que obrigam a reimprimir o documento), por perda de validade ou por acidentes como um copo de café derrubado sobre eles. É muito papel indo para o lixo, quando poderia ser encaminhado para usinas de reciclagem.

Objetos plásticos também costumam encontrar nas lixeiras seu destino final. São apontadores, carcaças de canetas, réguas quebradas, peças de componentes eletrônicos como telas de computador, mouses e teclados, copos descartáveis, etc. Em algumas indústrias, os paletes utilizados no transporte e na estocagem dos produtos é confeccionado em plástico (o motivo principal é a facilidade em higienizá-los), e eles também podem ser reutilizados ou reciclados.

Todos os materiais numa nova rotina

A reciclagem e a reutilização dos materiais criaram uma nova demanda tecnológica, com o objetivo de agilizar o processo de reuso/reciclagem e torná-lo mais barato e com menos perdas de material. Essas novas tecnologias foram criadas e vêm sendo aprimoradas. O resultado? Peças totalmente novas feitas a partir de peças antigas – no caso dos paletes, uma peça danificada é reciclada e dá origem a uma nova e com a resistência íntegra.

A dedicação e especialização nas técnicas chegou a tal ponto, inclusive, que já é possível encontrarmos garrafas de refrigerante feitas 100% com material reciclado. Ainda, algumas confecções já comercializam camisetas e outras peças de roupa cuja trama de algodão contém fios de garrafas pet recicladas. Isso mesmo! Fios plásticos misturados aos de algodão! Entretanto, são tão finos, e tratados com uma técnica tão minuciosa, que não se nota nem ao olhar, nem ao tocar. Na verdade, a técnica de usar plástico em roupas já vem de alguns anos, quando uma determinada marca passou a encorpar o jeans com fios plásticos – sem mudar em nada o conforto ao vestir. Mas esta forma de reutilização do plástico só se tornou mais conhecida nos últimos anos, quando o pensamento ecológico veio à tona com mais força.

Quando a reciclagem não é possível por alguma razão, vemos o reuso dos materiais. É o caso dos pneus, cujo processo de reciclagem é mais caro e consome mais recursos do que a fabricação de um novo. Os pneus descartados são transformados em raspas, e estas raspas encontram várias utilizações. Na escalada, por exemplo, estas raspas preenchem colchões especiais chamados crash pad, que são colocados no solo para amparar a queda dos escaladores nas academias. As raspas podem ser usadas também na pavimentação asfáltica, conferindo resistência e durabilidade ao novo piso, já que a borracha é elástica.

Reutilizar e reciclar, hoje em dia, são palavras de ordem quando o assunto é deixar o planeta tomar fôlego de novo.