O Veganismo Mata

Nós já comentamos neste espaço sobre quem são os veganos e o que é o veganismo, mas, apenas para refrescar a nossa memória, eles são pessoas que adotaram para sua vida uma ideologia que prevê a absoluta abstenção de quaisquer alimentos, vestimentas ou outros produtos de origem animal, sejam quais forem as procedências, ou ainda produtos que foram testados em animais, seja para que fim for, podendo inclusive ser medicinal, enfim, boicotam tudo o que diga respeito à menor menção de sacrifício animal. Hoje, vamos comentar as conseqüências dramáticas do radicalismo pelo qual enveredaram os veganos, analisando um caso em particular, mas não o tomando como pontual, como gostam de afirmar alguns.

É público e notório, que todo recém nascido deve ser amamentado pela sua mãe, pelo menos, até o sexto ou sétimo mês de vida, porque o seu leite contém todas as vitaminas e proteínas das quais o jovem organismo necessita, para o início de uma vida saudável. Também é de conhecimento da maioria das pessoas sensatas, que as mães devem se cuidar, alimentando-se adequadamente, para que o seu leite seja suficientemente forte para sustentar a criança recém nascida, nutrindo-a de forma saudável, garantindo-lhe uma melhor condição de sobrevivência. Recentemente, porém, um casal de veganos franceses foi condenado à prisão por cinco anos, metade em regime fechado, por haverem negligenciado os cuidados com uma filha de apenas onze meses de idade, negando-lhe uma alimentação saudável e adequada, e ainda os cuidados médicos.

A criança teria morrido de desnutrição. É fácil encontrarmos a razão da morte da menina, quando encaramos a realidade daquela ideologia insana (não estamos aqui abolindo a alimentação vegetariana, que bem administrada é importante para o desenvolvimento de um corpo saudável, mas também não podemos negligenciar ou desconsiderar a necessidade do corpo humano de proteína animal). O que ocorre é que o veganismo não tolera o consumo de leite, ovos, ou ainda os seus derivados, com falei antes, nada que tenha origem animal, e como é que uma criança de poucos meses poderá sobreviver sem uma alimentação substanciosa? Sem leite? Ou sendo amamentada por uma mãe que não cuida de se fortalecer adequadamente?

Aquele casal negligenciou a sua própria alimentação e também de sua pequenina filha, o que resultou em sua morte prematura. Agora, deixar de comer carne por defender os direitos dos animais, faz-nos lembrar obrigatoriamente do que nos foi dado como bênção pelo Criador: “Eis que vos dou todas as coisas” aqui incluso todos os animais dos quais possamos nos alimentar. Cabe aqui o bom senso. Se quisermos dar ouvidos à voz de Deus, poderemos comer de tudo o que nos apraz, abstendo-nos apenas da carne com o sangue, porque no sangue está a vida, ou ainda da carne sufocada, porque o sangue não escorre, e prevalece a primeira ordem.

Em nenhum outro lugar, em nenhuma outra fonte, encontramos segurança para afirmar que houve algum dia proibição ao homem, de se alimentar por questões de direitos dos animais. E o direito dos homens de se alimentar? Mas, se alguém gosta de proibições, que pague o preço.

  • Elder

    Acho que cada um deve comer o que quiser.
    Se pessoas sao felizes sendo vegan vegetarianos , outrora, deixa ser por que nao ? Se o senhor gosta de carne vermelha , que seja feliz assim. Mas , a criança nao faleceu por tais motivos .

  • Elder

    ps.: vegetarianos vivem mais e melhor.

  • Tecnicamente falando, nosso corpo necessita de uma boa e equilibrada alimentação para se manter de pé. Existem aqueles que entendem que devem se abster de certos alimentos, apenas por seguirem, por questões ideológicas volto a afirmar, regulamentos e instruções de sistemas particulares e princípios filosóficos de alguns segmentos antrópicos. Prevalece, no entanto, o bom senso.