O Hobbit : Uma Jornada Muito Esperada

O Hobbit

O Hobbit

Lançado dia 14 deste mês e arrecadando uma bilheteria de  US$ 84,7 milhões (R$ 176 milhões) em um final de semana (recorde  americano de estréias dezembro), O Hobbit chega aos cinemas do mundo todo trazendo consigo a sombra de seu predecessor: a trilogia de “O Senhor dos Anéis”, e o peso da responsabilidade de cumprir com as expectativas dos exigentes (com razão) fãs desses filmes, e fazer jus ao nome e a  trilogia de 11 Oscars à qual pertence, como uma continuação cinematográfica desses filmes de sucesso estrondoso e que, pelas mão de seu diretor e de atores excelentes, redefiniram a maneira como vemos os filmes de fantasia hoje em dia no cinema, contando uma historia igualmente revolucionária nesse gênero. Dirigido pelo mesmo diretor dos filmes anteriores (Peter Jackson), O Hobbbit vem com a promessa de ser tão grandioso quanto eles. Será ? Assisti ao filme, li os livros e agora veja abaixo uma resenha tomando como base a história original do livro sobre o que um dos filmes mais aguardados do ano trouxe. Sem spoilers !

Capa do livro “O Hobbit” ( “The Hobbit”, em inglês)

Como vocês puderam notar no início, é impossivel falar em O Hobbit sem citar também seus antecessores nas telas, os filmes da trilogia O Senhor dos Anéis. Na literatura (sim, se voc~e não sabia esses filmes primeiro foram livros), O Hobbit vem primeiro que O Senhor dos Anéis, ele funciona como um prólogo para estes livros, mostrando como o anel foi encontrado, por exemplo, e alguns outros fatos que se lê nos proximos livros, e isso é muito importante para compreendermos o filme, pois nos mostra duas características importantíssimas quando vamos assisti-lo pensando em O Senhor dos Anéis.

Primeiro que enquanto os livros da trilogia O Senhor dos Aneis são livros para adultos, e são de fato uma trilogia, o Hobbit é um livrinho pequeno escrito por Tolkien para crianças , e isso se é algo que devemos lembrar quando vemos o filme, uma pista disso é a inevitável decepção que (acredito eu) todos os grandes fãs dos filmes anteriores tiveram e  terãoao assistir O Hobbit ( como eu tive), pois não se tem personagens tão cativantes como os filmes anteriores ou então uma historia tão envolvente, com batalhas épicas e todos os elementos fantásticos que vimos antes. . Um dos personagens que não consegue cativar muito o espectador é Thorin, interpretado por Richard Armitage, que mesmo tendo uma história fantástica e nos fazendo torcer pelo seu sucesso na aventura dos anões e de Bilbo, não nos cativa tanto e como Orlando Bloom e Viggo Mortensen nas peles de Legolas e Aragon em O Senhor Dos Anéis. Segundo que, justamente por ser um livro pequeno, a adaptação cinematográfica de O Hobbit não comporta mais duas continuações. Embora o livro tenha grandes aventuras (mesmo com o tamanho reduzido, pois Tolkien escreve em uma linguagem simplificada) tudo poderia ser bem contado em 2 filmes, considerando o padrão Peter Jackson de contar tudo bem detalhadamente sem pular nada dos livros ou sem ficar resumindo ações ou arcos da história, logo percebe-se durante o filme que o assunto está sendo inchado, tem historia demais sendo contada aonde não havia necessidade daquilo, o que agrada o leitor dos livros, mas, aliado ao trabalho das personagens, torna-o um pouco massante em algumas partes.

Martin Freeman fazendo uma ótima atuação como Bilbo Bolseiro

Martin Freeman fazendo uma ótima atuação como Bilbo Bolseiro

Mas chega de falar dos pontos negativos, falei deles primeiro porque são poucos em comparação ao que vem á seguir, os pontos positivos. Comçando pelos cenários e as criaturas, e direi isso com base na minha experiencias nos livros, eles são lindos. De longe Peter Jackson deu à Terra Média paisagens que jamais poderiam ser imaginadas nos livros, dando o aspecto épico de O Senhor dos Anéis. O fato de Peter Jackson ter resolvido não pular nada torna o filme ainda melhor de ser assistido, pois relembra-se da leitura do livro e percebe-se o quão fiel ele está sendo, e ver todos os cenarios que antes imaginávamos pela descrição de Tolkien como “Valfenda era um uma cidade élfica cituada em um vale” tomando forma de uma maneira tão colossa e tão linda é simplesmente fantástico.

Outro ponto positivo é ver a atuação de martin Freeman como Bilbo, ele é simplesmente fantástico no papel, e tem tudo a ver com o Bilbo dos livros, combinando muito bem os outros atores do filme em seus papéis. Bilbo tem um jeito recluso e medroso, qmas que ganha malícia e coragem aos poucos, determinado  a se tornar um grande ladrão e ganhar o respeito dos anões no grupo, diferente da pureza e ingenuidade de Frodo, de o Senhor dos Anéis, Bilbo é muito engraçado e ativo. Falando em humor, esse é um elemento muito presente nesse filme, não um humor descarado e sim aquele humor casual, de cenas com personagens atrapalhadas. Assisti o filme dublado e ri muito na parte em que Bilbo encontra Gollum e os diálogos que este estabelece consigo mesmo. E a maior surpresa está em um aspecto técnico. Desde o principio do cinema, filmes são filmados a uma velocidade de 24 frames por segundo. em “o Hobbit” não é assim, ele é filmado em 48 frames por segundo, isso confere ao filme uma imagem mais rapida, dando a impressão de que o filme é mais realista. A imagem fica muito cristalina, a movimentação é mais fluida e a emoção de ver paisagens como a cidade élfica de novo mas de uma maneira tão bela é indescritivel

Afinal…

Essse filme é simplesmente ótimo, fascinante. Minhas críticas não poderiam ser ruins sobre ele. Peter Jackson fez um ótimo trabalho dentro do que a história lhe possibilitava. Talvez tenha faltado que ele percebesse que não adianta encher linguiça por muito tempo, pois o Hobbit não está destinado ao clamor e épico que O Senhor Dos Anéis, já que a historia original não fornece subsídios para isso. Para aqueles que são fãs do livro ou pelo menos o leram, o filme será (acredito eu) ótimo. Porem não entrem no cinema para assistir O Hobbit com O Senhor Dos Anéis em mente, tentando compará-los. São obras com raízes bem diferentes.

Aqueles que forem assistir ao filme com o livro em mente tendem a gostar bastante e aplaudir de pé, porém aqueles que o assistirem com O Senhor dos Anéis em mente tendem a ter uma decepção. Sim, uma pena mas esse filme deixa um gostinho de decepçao na boca nesse aspecto. Porém a produção maravilhosa e a emoção de retornar para a Terra Média e ainda por cima de uma maneira tão linda ainda por cima compensa tudo, e embora 3 filmes sejam um exagero para uma historia não tão profunda, mas tratar dela em apenas um filme é pouco devido a sua extensão e isso torna o filme chato em algumas partes que quebram o ritmo da história e a deixam meio chata, partes que nem precisavam estar ali essencialmente.

É isso aí pessoal, minha opionião, espero que tenham gostado ou servido de algo, e se você também assistiu ao filme ou leu os hilivros e gostou, ou gostou ou não gostou da critica, por favor deixem um comentário porque seria de grande ajuda  para ter um feedback e saber assim a opinião de vocês do que escrevi, do assunto, que é o mais importante. Obrigado !