O Dinheiro é bom?

Dinheiro é bom?

Dinheiro é bom?

Se fizermos esta pergunta a um milhão de pessoas, em todo o mundo, a maioria vai dizer que sim, com certeza. Esta tendência se verifica, porque as pessoas vislumbram apenas os benefícios de se possuir dinheiro, os quais podem ser desde o simples suprimento das necessidades básicas, até o alcance de poder. Este último, para muitos, pode ser a derrocada final. Porque é tão difícil para o ser humano lidar com o dinheiro? Ele mais parece uma coisa amaldiçoada, do que uma bênção, se analisarmos todos os seus efeitos em todo o mundo, desde a sua existência. Corrupção e morte são espalhadas aos quatro cantos do mundo, miséria e riqueza são dois extremos que distanciam os povos, a maioria no primeiro plano, cobiça e avarezas se contrapõem, filhos desejam a morte dos pais, e vagabundos sonham em se tornar ricos da noite para o dia, sem ter que fazer absolutamente nada. Se puderem, roubam, porque é mais fácil do que trabalhar, os outros fazem isto por eles.

Jovens traficantes, ainda que conhecendo o destino que os espera, permanecem no mundo do crime, onde auferem cifras absurdas em poucos dias e ficam milionários em muito pouco tempo. Preferem morrer e sair da vida ainda muito jovens, do que abandonar a fonte envenenada de sua riqueza. Os milionários não dormem, pensando nos resultados das bolsas de valores, que podem despencar a qualquer momento, diante de uma crise de proporções mundiais. Isto sem contar que têm que ter um olho no gato e outro no peixe, com seus familiares. Em Teófilo Otoni, em Minas Gerais a ex-mulher de um empresário é suspeita de mandar matar o marido, em virtude de algumas apólices de seguro de vida, onde ela é beneficiária de uma pequena fortuna de mais de um milhão de reais. A estudante de direito, Erika Passareli, está envolvida no assassinato de seu pai, também pelo mesmo motivo, ou seja, seguro de vida com indenização de mais de um milhão e cem mil reais.

Um cadeirante, ganhador de loteria, que havia ganhado algo em torno de cinqüenta milhões de reais, foi assassinado a mando da ex-mulher, jovem e bonita, que queria se apossar de sua fortuna. O brilho do ouro enlouquece o homem, e, realmente, ele é mesmo fascinante. É um metal lindo e maravilhoso, quando encontrado naturalmente no meio das montanhas. Deixa-o lá, quietinho, olhe-o de longe. O dinheiro em si mesmo, não é bom e nem é ruim, em si mesmo. Houve um cantor famoso que mandou que o enterrassem, quando morresse, com o seu carro e com a sua fortuna dentro. Alguns vão dizer que não se vive neste mundo sem o dinheiro, e, de fato, esta é uma realidade da qual não podemos fugir, mas vamos ser sensatos, e sóbrios ao fazer uso dele. De que adianta ao homem ganhar todo o mundo e perder a sua alma para o inferno? Famílias inteiras se destroem por causa do dinheiro.

“Mas os que querem ficar ricos caem em tentação e em laço, e em muitas concupiscências loucas e nocivas, as quais submergem os homens na ruína e na perdição. Porque o amor ao dinheiro é raiz de todos os males, e nessa cobiça alguns se desviaram da fé, e se traspassaram a si mesmos com muitas dores”. Deus avisou ao homem sobre os riscos da riqueza mundana. Quem vai querer pagar para ver? É, realmente, muito mais fácil passar um camelo pelo fundo de uma agulha, do que entrar um rico no céu.