O Brasil no Contexto Mundial

Brasil no contexto mundialAntes de tecer minhas considerações a respeito do Estado Brasileiro, é necessário primeiro declarar o meu profundo, incondicional e sincero amor a este país e a nação que representa, é tão grande esse amor que não podendo mais crescer se transformou em ódio. Ódio nutrido diariamente diante das mazelas que vejo o meu objeto de veneração ser submetido constantemente, e ao contrário do que é repetido de forma insana, é amada, mas está muito longe de ser uma mãe gentil assemelhando-se sim a uma madrasta perversa que faz distinção entre os irmãos sob a sua guarda. A esperança, essa fé irracional faz com que nunca desista e que aguarde pacientemente uma mudança de atitude e é por isso que se me fosse dada à opção de escolha entre todas as nações do planeta com certeza “ser brasileiro” seria a opção escolhida. Nós somos a melhor representação da humanidade, de tão híbridos nos tornamos puros e por esta razão, talvez não em minha geração, haverá o momento em que o Brasil será obrigado a tomar seu assento na mesa dos principais do planeta, com a missão de compartilhar com os demais povos o seu exemplo de tolerância. Ou o mundo acorda para importância dos valores que nos são inatos ou simplesmente deixará de existir.

Convém ressaltar que não apenas constituímos na esperança do mundo no sentido da disseminação de nossos valores em face dos modelos fracassados até então impostos pelos povos do norte. Nossa importância transcende o campo comportamental, vai muito mais além, uma vez que nossa importância estratégica não pode ser mensurada afinal somos o maior detentor do recurso natural vital para o planeta – água potável, que se encontra na maior área verde do globo que de tão vasta determina unilateralmente boa parte da constituição do clima do planeta. Sem contar com o nosso clima ameno, onde com exceção de algumas áreas do sul do país possuímos a presença do sol durante o ano inteiro e com áreas cultiváveis que possibilitam desde que investimentos sejam feitos suprir folgadamente toda a demanda de alimentos do mundo.

Diante desses argumentos o que falta ao Brasil para amadurecer e encarar suas responsabilidades, e de uma vez por todas entender que os valores que representa não subsistirão enquanto prevalecer esta postura patética e submissa, onde permitimos que seja massacrada qualquer centelha de valorização do que é nosso, afinal na concepção atual tudo o que é estrangeiro é bom em detrimento ao nacional, com exceção ao período de copa do mundo nada é mais fora de moda do que ser patriota. A quem interessa que nossa auto-estima permaneça em baixa? Será que já é chegado o momento de reavaliar essas questões, havemos de despertar e caminhar com passos firmes e decididos, esses passos vacilantes e imberbes não condiz mais com a nossa realidade e tão pouco com nossas aspirações em um futuro próximo. Até quando permitiremos que estrangeiros transitem livremente em nosso território amazônico? Quando adotaremos medidas eficazes que garantam nossa soberania nas fronteiras do norte?

Em um país onde a carga tributária e os juros praticados são os maiores do mundo e a dívida social existente alcança níveis estratosféricos fica difícil imaginar que altas somas de recursos devam ser alocadas para o melhor aparelhamento da Forças Armadas, mas quem disse que essas decisões seriam fáceis, os investimentos militares a cada ano tornam-se mais urgentes e a hesitação por parte do governo motiva que diversos países especulem a apropriação de parte de nosso território em um futuro próximo também.

Devemos estabelecer no Brasil um estado moderno, altivo e sem medo do futuro onde possamos criar um modelo de desenvolvimento que atue em diversas frentes, principalmente na reestruturação institucional e nas políticas estratégicas vinculadas as questões do mundo globalizado. Sem dúvida estabelecer este estado moderno constitui um desafio titânico, mas sinceramente creio que seja possível em um espaço de tempo relativamente curto desde que um esforço igualmente titânico seja depreendido. Longe de querer de uma forma ufanista exacerbada superestimar o Brasil no cenário mundial, mas gostaria de embasar o meu argumento no seguinte fundamento – qual é a maior preocupação da humanidade nesse início de século? Não seria a questão ambiental? E qual o país que detém a maior reserva de biodiversidade do planeta? Diante disso é imperioso que nos preparemos para assumir nosso papel no cenário político mundial, mas antes temos que construir um estado moderno.

  • Stella

    Caro Azevedo, também amo o meu país, mas daí a afirmar que somos " a melhor representação da humanidade ",, por favor. Nós não nos tornamos melhores e mais puros por sermos "híbridos", ao contrário, parece-me que o excesso de miscigenação transformou, a todos nós, no que de pior existe: covardes, fracos, preguiçosos, corruptos, embusteiros, arrogantes, etc, etc, etc, a lista é longa. Sabe Azevedo, eu até admiro a sua puerilidade – eu também ainda sou um tanto tola -, mas é melhor crescer, e bem depressa, porque não será com ela que vc. irá ajudar a salvar o nosso país.

    • AZEVEDO AROUCA

      Caríssima,
      Um grande abraço, e aproveito para convida-lá a interagir , através de e-mails,pois diante da pertinência e da clareza como expressa suas opiniões fato que muito me alegraria e enriqueceria meus conceitos.
      Respeitosamente,