Novelas da Globo e os Critérios do “Vale a Pena Ver de Novo”

Critérios do "Vale a Pena Ver de Novo"

Critérios do “Vale a Pena Ver de Novo”

O “Vale a Pena Ver de Novo” é o horário que a Rede Globo reserva para a exibição de novelas que já foram ao ar. As reprises são exibidas desde o final dos anos 1970, mas só em maio de 1980, com a reapresentação de Dona Xepa, o nome “Vale a Pena Ver de Novo” passou a ser utilizado. A princípio Dona Xepa ia ao ar às 17h, mas após alguns capítulos a sessão de reprise foi transferida para o horário das 13h30. Quando o programa Vídeo Show passou a ser exibido diariamente, em setembro de 1994, o “Vale a Pena Ver de Novo” foi para o horário das 14h30.

Durante muito tempo os telespectadores alimentavam expectativas quanto aos folhetins que seriam reprisados. Todos esperavam pela volta de suas novelas favoritas. Mas ultimamente a reapresentação de novelas que foram ao ar pela primeira vez há pouco tempo, ou mesmo a reprise de novelas que já foram reprisadas, tem incomodado a audiência. É o caso da novela “Da Cor do Pecado”, que voltou à tela da Globo dia 24 de setembro. A trama de João Emanuel Carneiro estreou em 2004 e passou no “Vale a Pena Ver de Novo” pela primeira vez em 2007. Antes dela, a faixa vespertina da emissora estava reapresentando Chocolate com Pimenta, folhetim que estreou em 2003 e já tinha sido reprisado em 2007. As “reprises de reprises” vêm desagradando o público, mas a emissora tem motivos para não trazer de volta novelas que fizeram muito sucesso.

O principal deles é a classificação indicativa. O “Vale a Pena Ver de Novo” vai ao ar no meio da tarde, o que exige que o conteúdo da programação seja livre para todos os públicos. Isso limita as opções da Globo, pois novelas com temas polêmicos ou cenas impróprias para determinadas faixas etárias são vetadas. Para se ter idéia, “Celebridade” e “Páginas da Vida”, que foram grandes sucessos do horário nobre, não podem ser reprisadas à tarde, mesmo com cortes. Para as novelas mais antigas as chances são ainda menores, pois nos anos 80 e 90 esse tipo de regulação não existia, o que tornava possível que tramas como “Salomé” fossem exibidas no horário das 18h.

Outro ponto que reduz as chances de uma novela ser reprisada é a diferença de hábitos e de tecnologias entre a época da primeira exibição e os tempos atuais. Os telespectadores sentem estranhamento ao acompanhar uma novela (que não seja “de época”) em que os personagens não têm celular ou computador. Além disso, costumes que nos anos 70 eram glamourizados, como o hábito de fumar, são completamente reprovados em nossos dias.

Por fim vem a questão dos rostos conhecidos. Novela é um entretenimento que cativa o público pela história, mas também pelo elenco em questão. Grande parte das antigas novelas da Globo são estreladas por atores que a juventude de hoje sequer conhece, o que torna mais difícil fisgar essa audiência mais jovem. Por essa razão, a emissora prefere reprisar novelas mais recentes, com elenco bem conhecido, e por vezes até querido, do público.