Limpeza da cozinha: um eterno tormento!

Não tem jeito: por mais que a gente adie dia após dia, vai chegar o momento em que a casa vai nos agarrar pelo colarinho e dizer, nos olhando nos olhos: “me faxine, ou vou começar a te adoecer!”. Há quem adore faxinar (não é meu caso), mas entre aqueles que não são tão adeptos, essa pode ser uma das piores tarefas a fazer. Uma saída é contratar alguém e deixar a pessoa se virar com essa peleja, mas quem anda com a conta bancária esganada não tem outro recurso. O jeito é passar a mão nas vassouras e panos e… cair na faxina.

Em geral, os quartos e as salas são tranquilos para dar uma boa limpeza, pois costumam ter mais problemas com poeira e desarrumação. Mas quando chegamos no banheiro e na cozinha… oh, heavens… Aí o bicho pega. Se tem desleixado morando na casa, então! Aff! Complica tudo! É um emporcalhamento completo, difícil (e desagradável) de limpar! Mas alguns dias podem ajudar na limpeza e deixá-la, pelo menos, mais fácil e rápida.

O reino da poeira ensebada

A-sujeira-na-cozinha-dá-trabalho.A cozinha é azulejada até o teto não é à toa. Como ela junta sujeira, meu Deus!! O simples cozimento do arroz, por exemplo, faz com que saia uma boa quantidade de vapor da panela. E esse vapor vai de encontro às paredes e ao teto. Antes dele se secar, obviamente cai alguma poeirinha ali; essa poeirinha não se agarraria ao azulejo seco, mas como ele está um pouco úmido por causa do vapor, ela agarra – e quando o vapor secar, ela vai ficar ali, pregadinha. Inicialmente a gente nem nota, mas com o tempo a cor do azulejo vai mudando e você começa a perceber diferentes tonalidades entre uma placa e outra. Não é defeito de fabricação: é sujeira mesmo. Mas como isso acontece ao longo de um prazo muito longo, não é preciso limpar as paredes em todas as faxinas; uma vez por mês já está bom. EXCEÇÃO: se você faz muita fritura, o ideal é fazer a limpeza – com esponja e desengordurante – uma vez por semana, porque a gordura que “voa” pela cozinha adere rapidamente aos azulejos e a poeira se mistura a ela formando um sebo terrível de tirar se ficar ali por muito tempo.

Portas e janelas também devem ser limpas com frequência pois são estruturas que não podem ser limpas com muita força, sob risco de serem danificadas. Caso a janela e a porta sejam do tipo porta balcão, daquelas de alumínio, a limpeza será mais fácil; um pano úmido com um pouco de detergente neutro dá conta. Mas se forem de madeira ou ferro, escolha produtos apropriados para fazer a limpeza delas.  Ah, não se esqueça dos vidros. Se estiverem ‘daquele’ jeito, passe um pano com desengordurante antes; depois retire o excesso com um pano úmido e passe um produto de limpeza de vidros para protegê-los. Esses produtos são interessantes porque dificultam a aderência de novas sujeiras nos vidros e vão facilitar as próximas faxinas.

Hora de apagar as pegadas

É-preciso-um-esforço-especial-para-cuidar-do-chão-da-cozinha.Chão. Nem preciso falar, não é? Nada de só passar a vassoura e deixar como está. O chão da cozinha é o maior acumulador de sujeira conhecido porque tudo o que ocasionalmente voou por ali (vapor, gordura, leite derramado…) caiu de volta e com certeza empesteou o piso. Os maiores estragos costumam estar ao redor do fogão e isso é denunciado pela mudança da cor das placas dessa região, pela mistura da poeira e da gordura. Não tem jeito: jogue um pouco de água, sabão em pó (pode ser daquele mais baratinho, pra limpeza de chão ele é bom) ou detergente. Se estiver MUITO engordurado, passe um desengordurante antes, com uma esponja, pelo menos onde estiver mais crítico. Depois lave todo o chão normalmente, enxaguando em seguida e secando.

Atenção com a quantidade de água, hein? Não é preciso jogar um balde inteiro para lavar o piso de uma cozinha – aliás, nunca foi. Metade de um balde já dá conta; é só você puxar a água com a vassoura para cada canto do cômodo. Ela vai ficar cada vez mais suja mas pode confiar: dá certo. O que vai fazer a diferença é a quantidade de produto de limpeza. Depois é só mandar essa água suja para o ralo e jogar uma água mais limpa no piso (de novo: meio balde basta), usando-a para enxaguá-lo por inteiro. Pronto, chão limpinho.

Caso as portas sejam de madeira ou de ferro, evite que elas entre em contato com a água, manobrando a vassoura e o rodo com mais cuidado quando estiver perto delas. A madeira pode sofrer estufamento com o passar do tempo por causa dessa umidade toda, e o ferro vai se corroer. Se forem de alumínio, não importa se porta balcão ou basculante, pode relaxar um pouco mais.

Cozinha limpa, sem gastar muita água e nem muito tempo. Viu? Nem doeu! ;)