Jesus ou Barrabás – A Escolha que Fazemos

O homem foi criado para ser um agente livre e capaz para tomar as suas próprias decisões, isto porque Deus queria se relacionar com alguém que pudesse escolher amá-lo livremente, sem qualquer intervenção de Sua parte. Sábia decisão do Criador. Ocorre que, dentro do coração humano acontecem coisas estranhas como, por exemplo, qual é o uso que faremos de nosso livre arbítrio. E a meta que traçarmos para nossas vidas vai, efetivamente, determinar o nosso destino.

Qual caminho escolher?

Qual caminho escolher?

Muitos pensam que as coisas vão acontecendo em nossas vidas ou porque assim estava escrito, ou porque Deus assim o quis. Mas, vejam bem, se fizermos escolhas erradas o que vai acontecer? Podemos dar com os burros n’água, e de quem será a culpa? Se dermos um tiro em nossa cabeça, vamos morrer, é suicídio, decisão que nós mesmos tomamos, porque assim o determinamos e assim o quisemos. Portanto, ninguém toma decisões por nós mesmos; respondemos por nossos atos.

Devido à crescente maldade nos corações dos homens, que sacudiram de si a soberania de Deus, há mais de dois mil anos atrás nasceu um homem especial nesta terra, enviado para resgatar a comunhão com o Criador e que seria o único, vejam bem o único sacrifício suficientemente capaz para salvar a humanidade de seus próprios pecados, de seus próprios erros, de sua própria fraqueza e deslizes, enfim de todas as péssimas obras da carne e, graças a Deus, também da sua própria vontade.

Só para termos um melhor entendimento do que isto tudo nos quer dizer, ao longo da nossa vida sempre temos diante de nós apenas duas opções, ou dois caminhos para escolhermos: Bom ou ruim, bem ou mal, forte ou fraco, morte ou vida, céu ou inferno, Deus ou o Diabo. Não precisamos de uma dose elevada de bom senso para discernirmos sobre isso, está patente aos nossos olhos, todavia, muitas das vezes optamos pelo que é mau, e estou para dizer que é na maioria das vezes, bastando apenas olharmos para o que anda acontecendo à nossa volta, para constatarmos a verdade. Portanto, nossa vida e o que acontece com ela é uma questão de escolha, o que nós queremos ser, o que vamos estudar, onde vamos investir tempo e dinheiro, e por aí vai. Só que algumas escolhas são determinantes, com resultados irreversíveis e de conseqüências eternas.

Uma grande escolha nos foi imposta, há mais de dois mil anos atrás, e o resultado determinou o futuro da humanidade: Jesus ou Barrabás. Quando estas duas opções foram apresentadas, o que estava sendo oferecido era para que o homem optasse entre o bem ou o mal, entre o justo e o injusto, entre a morte e a vida, entre o céu e o inferno, entre a bênção e a maldição, entre Deus e o Diabo. Vamos ver no que deu: “Crucifica-O! Crucifica-O!” e ainda “que o sangue dEle caia sobre nós e nossos filhos!”. Há mais de dois mil anos que sofremos as trágicas conseqüências daquela triste e deplorável decisão. É por isso que o mundo está do jeito que está, padecendo com tragédias tão tremendas que lhe foge à compreensão.

A escolha fatal foi entre um ser repleto de amor e um assassino, entre um que se deu no lugar dos condenados para lhes salvar a vida e um assassino! Péssima escolha fizemos. Mas, ainda há tempo para mudarmos a nossa decisão, ainda há tempo para escolhermos a vida e não a morte, o que nos impede? Pensemos bem em que representa cada uma das opções que temos, um é amor, é vida, é liberdade, é alegria eterna sem nenhum tipo de padecimento. O outro é morte, é inferno, é fogo eterno e um tormento que nunca se acaba. Tudo é uma questão de opção. Qual é a sua?