Existe Tecido Proibido para Usar Durante a Gestação?

Vamos pensar na situação: você está grávida e, como tal, está com os hormônios em festa. Os cabelos ficam mais brilhantes, assim como os olhos; a pele fica mais viçosa e a barriga cresce a cada mês. Cenário ideal, não é? Pois é. Mas isso não quer dizer que os desconfortos da fase não existem. A barriga cresce e, por isso, a pele se estica. Se ela está esticada, é certo de que estará mais sensível, certo? Então imagine um tecido sintético, mais armado raspando nela? É de dar aflição…

Moda Gestante

Não me deixa irritada!

Durante a gravidez, muita coisa fica exagerada e uma delas é o desconforto causado por essa ou aquela peça de roupa. Se você reparar, quase todas as opções da moda gestante são confeccionadas em algodão ou tecidos de toque suave, como supplex, e quase peça nenhuma em nylon, cambraia de linho, etc. Até mesmo acabamentos em costura merecem cuidado especial para não agredirem a pele da gestante – por exemplo, as costuras nas batas, que ficam mais altas e roçam o alto da barriga. Mesma coisa na costura que fixa detalhes como paetês e pedrarias: é como usar aquele casaco de lã que fica pinicando.

Além do tipo de tecido em si, existe um fator prévio à gestação que pode se agravar durante esse período: a alergia. Algumas mulheres têm alergia a certos tipos de tecido, na maioria das vezes os sintéticos. Então, não é necessário muito esforço para compreender que, se antes já não era boa ideia usá-los, agora é que não é mesmo! A pele fica muito irritada em contato com eles – às vezes chega a dar bolhas. Como toda irritação é porta de entrada para infecções, convém não arriscar. Agora tem um bebê aí dentro (ou seriam mais?).

 

Turma do metal não tem lugar comigo

Também existe outro fator causador de alergias nas roupas e este costuma ser ignorado até que ele cause algum problema: os metais. Em contato com o corpo, eles podem disparar um processo chamado de dermatite de contato. É aquela inflamação que surge quando você coloca um brinco e a orelha não aceita muito bem. Só que esse tipo de alergia pode ocorrer no corpo todo, não só nas orelhas; basta que o botão da calça fique em contato com a pele e pronto: lá está a irritação. Se você reparar, muitas opções de calça da moda gestante não fecham por botões e, sim, por amarrações ou elásticos, exatamente em atenção às gestantes alérgicas.

A chance da irritação aparecer é potencialmente maior quando ocorre transpiração: o suor umedece o tecido, alcança o metal e piora o quadro. Como as grávidas têm o metabolismo acelerado, a sudorese também aumenta, aumentando também a chance de desencadear esse processo alérgico. O risco disso ocorrer é maior em quem já tem histórico de dermatite de contato, mas pode aparecer durante a gestação em mulheres que nunca tiveram. Convém prestar atenção.
Da cor do calor

Roupas com muita tinta também podem representar um problema – nem tanto pelas alergias (que também podem ocorrer – mas pela temperatura. Especialmente nas gestações cujo final coincide com o verão, as roupas com muitos silks dificultam a respiração da pele. Se lembrarmos que no fim da gestação é exatamente quando a mulher está com o metabolismo mais acelerado (portanto sente mais calor), imagine o desconforto? A mesma regra vale para os tecidos mais pesados e fechados, e os de cor mais escura: os fechados também dificultam a ventilação da pele e os escuros absorvem muito mais calor que os claros. É mais um ponto para a moda gestante, que está (quase) sempre optando pelos tons mais claros.

A ordem nessa época é mesmo o uso de tecidos leves e confortáveis e corte amplo. Afinal, se você estiver confortável, seu bebê também ficará!