Crítica de Álbum: Ellie Goulding, Halcyon

  • Artista: Ellie Goulding
  • Álbum: Halcyon
  • Ano: 2012
  • Gênero: Folk/ Indie/ Pop
Crítica: Halcyon é o mais novo álbum de Ellie Goulding. Depois de tanta espera para ser lançado oficialmente em um álbum, ‘Lights’, o primeiro single do cd, foi um sucesso. Ellie tomou seu espaço no meio musical com vigor. Na minha opinião, hoje ela é uma das vozes mais bonitas da música comercial. Com a sua melodia emotividade, esta é certamente a música pop, mas não do estilo eletronico-r&b estereotipada e clichê que tem vindo a dominar as paradas. A crescente ambição de Ellie Goulding como compositora é evidente no álbum melódico. Cada canção tem sua peculiridade. No geral, o álbum conta uma história triste, enfatizada principalmente na faixa de autoria de Ellie, “Dead in the Water”.

Track by track

Don’t Say a Word: Não me agradou aos ouvidos de primeira, talvez com o tempo eu me acostume com a melodia ‘descompassada’ e ‘rimas fora do ritmo’, que ja é característico de Ellie. A música serve exatamente para abrir o álbum. Basicamente uma poesia, não uma música.

My Blood: Bem melhor de ouvir do que a anterior. Com uma letra, de certo modo, religiosa, talvez não agrade a todos. Particularmente eu adorei e achei linda!

Anything Could Happen: O primeiro single do Halcyon. O coro do refrão te deixa em êxtase instantaneamente! A música é uma delicia de ouvir, e o refrão gruda na sua cabeça. Cheio de elementos pop e dance, é uma das faixas mais características do álbum.

Only You: A produção é incrível. Eu li alguns comentários negativos sobre este sendo uma faixa fraca, mas é uma das minhas preferidas! Os efeitos sonoros são muito diferentes, dão um toque ‘macabro’ que combina bem com a letra melancólica.

Halcyon: Realmente eu esperava muito mais da faixa titulo do album. Não é ruim, é muito boa, uma delicia de ouvir. As batidas eletronicas da música não disfarçam o significado de ‘Halcyon’, calmaria, tranquilidade.

Figure 8: Uma das mais comerciais do álbum  Inclua essa música nas sua playlist de festa, mas coloque pra tocar só no final, quando todos estão cansados demais pra dançar loucamente. Seguindo a caracteristica do álbum, as batidas eletrônicas não ofuscam a calmaria da música.

Joy: Alegria = Joy… não tem nada haver. A música é a pura depressão. Ellie percebe que a alegria não é estar nos braços do amado, e que ela sempre vai sofrer com um coração vazio… tá com dor de cotovelo? Escute Joy!

Hanging On: Mais uma música de introdução misteriosa. Logo você se entrega ao som com os falsetes agudos de Ellie.

Explosions: Na primeira vez que ouvi, me veio na mente uma igreja ou um monetário com aquelas cantoras de ópera sinistra. A voz de Ellie acalma mais ainda o som. A canção é linda, fala de um medo indescritível de ficar sozinho, de não ter quem amar.

I Know You Care: Me recordou ‘Your Song’, o cover de Elton John que Ellie faz. Outra música calminha, feita para ouvir na hora de dormir.

Atlantis: Aquele tipo de música bem inspiradora, cheio de coros, instrumentos e backvocals. Bem parecida com ‘Anything Could Happen’.

Dead In The Water: Definitivamente a música mais dramática do álbum. Renderia um bom livro ou filme, com certeza! Uma história triste, onde Ellie aparentemente morre afogada na frente do amor, e agora está a nadar como um espírito, esperando por ele… medonho, não? Mas a melodia não nos dá essa sensação. É aquela música que quando você olha a letra, diz: Que letra foda!

I Need Your Love: Eletronicaaa! Essa sim, batidas, ritmos e efeitos sci fi! A música é bem futurista. Goulding diz que para resolver os problemas e deixar tudo ok só precisa do amor. A canção tem participação de Calvin Harris na produção.

Lights: Essa já é conhecida por todos! E claro, precisava estar nesse álbum, pois uma musica com tamanho potencial não poderia sobreviver em um EP. Lights é aquela música que você escuta na primeira vez, acha bonitinha, mas lentinha demais para uma festa… fica com ela na cabeça, cantando o refrão, e na segunda vez q ouve dança junto com a batida. Na terceira ela ja está no seu setlist de balada! rs

Ritual: Indie, esse é o gênero dessa música. Tambores africanos e componentes eletronicos. Bem estilo Florence + The Machine.

In My City: Violão, tambor e uma pegada dance. Um remix dessa música entraria pro Summer Eletrohits, com certeza. Bem parecida com a versaõ Dubstep de ‘Lights’.

Without Your Love: Pegue um liquidificador, coloque um dance 80’s + um batuque africano + muitos backvocals. ‘Without Your Love’ não me agradou muito, mas é interessante.

Em uma visão geral, ‘Halcyon’ tem pontos positivos. Se você está cheio de álbuns de música eletronica e repetida, essa é uma boa pedida. Definitivamente, Ellie é o tipo de artista para todos os gostos, desde os amantes de ‘pop chiclete’ até os de melodias instrumentais clássicas e letras elaboradas.

Minha nota para o álbum é: 9,0.