A Tragédia de Sansão

Sansão, cujo nome significava “homem do sol”, era dotado de extraordinária força. Por ser uma pessoa escolhida por Deus, tinha que abster-se de bebidas fortes além de não poder cortar barba e cabelo. A missão de Sansão foi determinada no seu nascimento, libertar o povo de Israel que vivia dominado pelos Filisteus. É descrito no Velho Testamento como um dos juízes bíblicos, mas ao contrário dos outros juízes, não comandava exércitos.

Agia individualmente. Suas aventuras tiveram inicio ainda na infância, quando matou um leão e deslumbrou a todos com sua força inigualável. Os governantes filisteus tinham grande medo dos poderes do rapaz e por isso vigiavam todos os seus passos e assim ficaram sabendo da paixão de Sansão pela filistéia Dalila. Logo procuraram a jovem e ofereceram-lhe 1100 moedas de prata, para que descobrisse a origem da força incrível do herói. Dalila, apesar de amar Sansão, tinha um sentimento maior e mais forte pelo seu povo. Usando todas suas armas de sedução, Dalila procurou desvendar o segredo e ao mesmo tempo arranjar uma maneira para que ele fosse dominado pelos seus compatriotas. Sansão, a principio, desviou o assunto e inventou versões absurdas para que ela se convencesse.

A cada mentira contada por ele, Dalila corria para seus aliados e o denunciava fazendo com que fossem enganados por três vezes seguidas. No entanto a mulher não desistiu de seu intento e tanto fez, e tanto falou que um dia Sansão revelou-lhe que sua força estava nos cabelos que não podiam ser cortados, pois isso o deixaria tão fraco quanto uma criança. Feliz com a revelação, Dalila fez com que ele dormisse em seu colo e suavemente cortou-lhe os cabelos. Chamados pela mulher os filisteus chegaram em algazarra e furaram-lhe os olhos, prendendo-o com algemas de bronze. Grandes festas e comemorações marcaram a tragédia de Sansão que, exposto e humilhado publicamente foi obrigado a mover o moinho da prisão, tarefa vergonhosa por ser exercida pelas escravas.

Durante um festim no templo de Dagon, Sansão foi exibido para centenas de pessoas que riam às gargalhadas ao ver o todo poderoso herói em situação tão deprimente, preso às pilastras centrais do templo. Num último esforço Sansão ergueu os olhos para o céu e pediu a Deus que o perdoasse e devolvesse seu poder por alguns momentos. Sendo atendido, Sansão demonstrou sua enorme força pela última vez, derrubando as pilastras que o prendiam e fazendo ruir o templo, onde morreu soterrado junto com seus inimigos.

.