A Relação Sexual Esfriou. E agora?

A relação sexual entre duas pessoas, seja casados, ou namorados, seja heterossexual ou bissexual e ou gays, não importa, ela tem sempre que ser apimentada sempre que possível, sob pena de ouvir de seu parceiro (a) palavras ou acusações que não condiz com o que realmente está acontecendo.

Relação sexual entre casados

Quem é casado (a) ou que vive algum tipo de relacionamento amoroso, ou ainda um namoro de longa duração, sabe e ou já sentiu que com passar do tempo há uma verdadeira tendência a uma diminuição da frequência com que passam a praticar o sexo. Os menos experientes em relacionamentos amorosos, logo pensam que pode está sendo substituído (a) por outra pessoa mais interessante que ele ou ela. Mas não é obrigatoriamente ser outra pessoa o motivo pelo qual diminuiu a frequência com que o casal passou a se relacionar sexualmente.

O que acontece, é que, como em um casamento, por exemplo, um casal não se depara apenas com situações sexuais, como faz um jovem casal de namorados em casa de seus pais, tendo muitas vezes como único pensamento, aquele de sair à noite bem arrumado e só pensando na bela noite que vai ter em um motel com seu parceiro (a). Longe disso estão os casados, que, primeiramente, eles começam a ficar de frente com problemas reais e obrigações também reais para quem chefia um lar, para quem deixou de ser o filho adolescente e passou a ser o pai ou a mãe. Além disso, o casal ou pelo menos um dos membros desse casal logo imagina que a vida sexual dos dois não termina ali, sabem que não tem apenas uma noite pela frente, como peçam os menos experientes que acham que tem que desfrutar muito com medo que esta noite não se repita mais.

Por outro lado, o motivo de já serem casados não os impede, seja ele, seja ela, de buscar algo que venha apimentar um pouco o comportamento dos dois quanto ao sexo. O casal pode ser considerado sexualmente ativo até quando quiserem independentemente da idade, a menos que por algum problema que os impeçam ou por alguma orientação médica quando for o caso.

Uma coisa muito importante que não deve ser esquecida por nenhum dos membros do casal, é que quando essa suposta falta de apetite sexual por parte dele ou dela acontece, não deve o outro cobrar de forma alguma e muito menos com palavra. Isso, certamente aborreceria e muito ao parceiro (a). O entendimento e a tentativa de participar junto com o companheiro (a) do que possa está a incomodar ele ou ela é a melhor coisa a se fazer. Na maioria das vezes é apenas algo muito simples, mas que acontece muito na vida de quem é chefe de família.

Faça uso de tudo que for lícito para despertar seu parceiro (a) para o sexo, seja com trajes que chamem atenção, perfumes, lingeries, e produtos eróticos dos mais variados e sem exagerar, pois, o mais importante é você, o seu entendimento, a sua participação junto com ele (a) no que for preciso. Leia outros artigos semelhantes.