A Educação Pública

Com toda a certeza você já deve ter ouvido a respeito da importância da educação, de como ela é decisiva para uma nação, representando condição mínima para a sua existência. Isso tudo é verdade, mas a dúvida é se as pessoas realmente sabem o que é educação. Quando o Estado ergue um prédio, aloca professores e funcionários, introduz crianças e coloca uma placa escrita “Escola Pública”, aos olhos da população parece que ocorreram investimentos em educação, contudo posso assegurar que educação no sentido pleno da palavra contempla questões bem mais amplas do que essas, o aspecto material representa apenas a ponta do iceberg que submerso no mar gelado ainda não foi revelado e nem o será, afinal os resultados só serão visíveis em longo prazo e em valores difíceis de serem mensurados. Essa forma de valorizar a materialidade no que concerne a educação, onde simplificamos a equação da seguinte maneira: investimos em educação, pois construímos muitas escolas, é reflexo de políticas desprovidas de embasamento intelectual e visão estratégica, onde a educação, verdadeiramente, não poderia fazer parte de nenhum programa de governo e sim fosse assimilado o conceito de que é algo atemporal, onde a sua importância, por transcender questões seculares, constituísse em uma causa abraçada por todos independente de quaisquer razões.

A construção da rede física é importante, mas a implantação de estruturas que possibilitem o florescimento da excelência acadêmica apoiada em sólidos conceitos filosóficos e científicos, onde as instituições de ensino exerçam com autonomia plena sua missão maior que é a de formar cidadãos munidos de conhecimento. Quando falo missão maior é por existir outra, a busca incessante de aprimoramento científico, onde a estagnação deve ser banida de todos os estabelecimentos de ensino, sejam eles de qualquer segmento não importando se é uma Pré-escola ou a Pós Graduação de uma universidade de ponta. A educação é um processo, portanto para ser implantada necessita de um aprimoramento constante e também de um comprometimento das mais variadas áreas, onde toda a sociedade trabalhe em um esforço permanente e concentrado, para que nossos jovens tenham sempre o melhor no que diz respeito a sua formação, isso necessita ser bem entendido por todos os setores, o estado sozinho não consegue arcar com esse projeto, mas uma vez revestido de legitimidade concedida pelo voto e legitimado pelo respeito às Leis, deve usar de prerrogativas legais para incrementar essas políticas educacionais.

Em nosso século o poder da comunicação de massa exerce um fator decisivo na formação intelectual dos nossos jovens, e se você estiver lendo o meu texto com um mínimo de atenção já deve ter percebido que defendo um controle por parte do Estado sempre que isso implicar no beneficio da sociedade, os meios de comunicação devem sempre ter em mente que além de responsabilidades com a obtenção de lucros para o Capital que são os seus proprietários, devem também disponibilizar parte de seus recursos para a difusão de programas educacionais e tudo o que contribuir para que valores que promovam o enriquecimento dos nossos jovens, se destaquem na mídia nacional, nas obras artísticas, por exemplo. Os heróis devem, sempre que o contexto permitir, estar lendo e respeitando as normas do bom convívio social, de forma análoga, tudo o que de alguma maneira contribuir para o desvirtuamento dos nossos jovens devem sem o menor constrangimento ser retirados da veiculação pública. As pessoas responsáveis pelo Estado não devem ter medo de usar a censura como se esse fosse o mais vil de todos os pecados, asseguro que a sua omissão diante da perda dos valores universalmente aceitos pela nossa sociedad por parte de nossos jovens constitui em um verdadeiro pecado capital.

Creio que agora o conceito de educação possa ser mais bem compreendido, resumidamente podemos defini-lo como sendo o processo pelo qual possibilitamos a formação de cidadãos plenos que, além de sólida formação intelectual, são dotados de sólidos conceitos morais. Isso é bem mais do que construir escolas, e para implantarmos esse novo modelo precisamos combater em duas frentes simultâneas que são respectivamente: O Controle Total do Estado na Educação e A Reforma do Ensino.

  • daniel santiago de moraes

    POEMA CRÍTICO: A nossa educação é motivo de uma eleição?
    Ou a nossa educação é motivo de uma paixão
    A nossa educação é motivo de uma cidadania?
    Ou a nossa educação é um caso de policia
    Sim: a nossa educação é um caso de policia onde os nosso candidatos em plena luz do dia não fazem politicas mas trocam acusações entre si lavando as suas roupas intimas na esquina
    A nossa educação é um caso de amor?
    Ou a nossa educação é motivo de uma flor
    Sim: A nossa educação é motivo de uma flor, uma flor que nunca desabrochou.