Veganos – Quem são eles?

Ativismo

Ativismo

Primeiro, vamos analisar a origem desta palavra para tentar entender um pouco, somente um pouco, do que vem a ser essa designação e como começaram os seus idealizadores. Donald Watson, um vegetariano que nasceu no ano de 1.910 e viveu até 2.005, convocou uma reunião com mais seis pessoas, no ano de 1.944, para discutirem sobre algumas diferenças ideológicas, com relação à sociedade vegetariana da qual faziam parte. O objetivo principal daquela reunião era criar uma nova sociedade, em razão das divergências verificadas, e dar-lhe um novo nome que definiriam a si próprios, surgindo daí o termo “vegan” que se origina da palavra “vegetarian” de onde eles utilizaram as três primeiras letras mais as duas últimas, para consolidar a sua marca. Portanto, surgiram os “veganos” que têm por ideologia o vegetarianismo, e se abstêm de todo alimento de origem animal, além de qualquer alimento que possa ter origem em testes feitos em animais, ou que incluam qualquer espécie de exploração dos bichos, em qualquer processo.

 Os veganos não aceitam diferenças entre homens e animais, e preferem tratar estes últimos como seres que têm tantos direitos quanto os humanos, consideram que o negro não existe para o branco, nem a mulher escrava para o homem, que cada animal tem domínio sobre a sua própria vida. Não usam qualquer vestimenta ou adornos que tenham origem animal, pois que remetem à morte daqueles ou na sua exploração. Enfim, eles desprezam e boicotam qualquer produto ou material que tenha origem na morte ou exploração de qualquer tipo de animal, aos quais se referem como “animais não humanos”. Mas, é preciso fazer uma diferenciação entre os veganos e os vegetarianos, por que o veganismo é uma ideologia, que não diz respeito diretamente a ser vegetariana como dieta, e está baseado nos direitos dos animais. Portanto, tanto a sua alimentação, quanto o seu vestuário não aceitam qualquer relação com os animais, seja direta ou indiretamente. Sua diversão não inclui, definitivamente, nenhuma visita a circos com animais, a rodeios, ou qualquer outro entretenimento semelhante, por motivos óbvios. Enfim, como diz o velho ditado “cada mania com o seu doido”, e é isto mesmo.