Usando Kit Gás, Troca de Óleo Deve Usar Lubrificantes Próprios

Kit Gás

Kit Gás

A onda dos kits gás tomou conta de todo o país, principalmente no Rio de Janeiro, onde taxistas aderiram com firmeza o uso do equipamento que, além de não-poluente, ainda faz o motorista economizar, pois rende mais que os outros e possui em valor absoluto inferior ao dos combustíveis tradicionais do mercado. Entretanto, é preciso prestar atenção à manutenção e, principalmente, à troca de óleo.

Manutenção deve ser redobrada, antecipar troca de óleo é bem-vindo

Apesar da conhecida economia, o kit gás deve receber alguns cuidados especiais com a manutenção. Isso se dá tanto no equipamento instalado, quanto nas peças originais do carro. A substituição do óleo deve ser feita, preferencialmente, antes um pouco do previsto, para assim, garantir o bom funcionamento da máquina. É muito importante ainda, observar que existem no mercado, muitos modelos de lubrificantes para veículos movidos à gás.

A originalidade deve ser preservada sempre que possível. Entretanto, o uso do gás como combustível foi impulsionado pela fartura de incentivos, como a redução do IPVA. Só que para o bom funcionamento do automóvel, é importante respeitar alguns limites como, por exemplo, jamais ligá-lo com a chave comutadora posicionada para o uso do gás. O carro deve sempre ligar na gasolina ou álcool. Sempre!

Troca de velas, cabos e filtros são importantes também

Devido à diferente forma de queima, o gás proporciona um desgaste maior de algumas peças originais. Itens como velas, cabos de velas e filtros de ar devem ser trocados antes do que a fábrica previa. Esta é uma boa forma de manter o bom funcionamento do equipamento. Dessa maneira, a sua viagem jamais será interrompida por algum erro primário. Para ter o kit GNV a pessoa deve saber exatamente o que ele representa para o carro.