Teoria Musical – Estudo Sobre Intervalos

Intervalo é a distância entre duas notas. De E até F acontece um meio tom. de C até o D acontece dois semi tons então 1 tom. Ao pensar no instrumento, em uma corda única de casa para outra, será meio tom de distância ou seja o intervalo de meio tom.

Para estudar intervalos será necessário embasar dentro de C a C. C D E F G A B e depois outro C mas incluindo os acidentes. sustenido e bemol.

C C# D D# E F F# G G# A A# B C (subindo = acidente sustenido)

C B Bb A Ab G Gb F E Eb D Db C (descendo = acidente bemol)

De C a outro C teremos. C D E F G A B C oito graus. Teremos assim de C subindo vamos nos deparar com outro C mais agudo que o primeiro então uma oitava acima.

Observe o seguinte exemplo:

Na corda La terceira casa teremos o Dó. conte na mesma corda a partir dela mais 12 meios tons.

Sem-título1

De C a outro C teremos. C C# D D# E F F# G G# A A# B C 12 semi tons, ou 12 meias tonalidades na mesma corda

De C a F teremos 4 graus em 6 semi tons.

De C a A teremos 6 graus em 11 semi tons.

Para começa a ficar bom no assunto é pegar em cada corda e encontrar quantas vezes se encontra a nota C da primeira casa a décima terceira casa.
2

Dentro dos intervalos existe classificação para cada semi tom ao começar de C e ir até encontramos outro C.

Veja a classificação:

C = tônica ou fundamental que é nota de principio.

C# Não há definição. pois não existe primeira maior.

D = segunda maior

D#= segunda aumentada

E = terça maior

F= quarta justa

F#= quarta aumentada

G= quinta justa

G# = quinta aumentada

A= sexta maior

A#= sexta aumentada

B= sétima maior

C= Oitava justa (repete a tônica em uma oitava com som mais agudo)

Agora vamos em sentido descendente já pensando em enarmonia.

C = tônica ou fundamental que é nota de principio

Db= segunda menor enarmônica com ré sustenido

D= Segunda maior

Eb= terça menor enarmônica com segunda aumentada

E= terça maior

F= quarta justa

Gb= quinta diminuta enarmônica com quarta amentada

G= quinta justa

Ab= sexta menor enarmônica com quinta aumentada

A= sexta maior

Bb= sétima menor enarmônica com sexta aumentada.

B= sétima maior

C =oitava justa
Vamos de C a duas oitavas acima.

C = oitava justa

C# não há oitava maior mas é enarmônica com nona menor Db

D nona maior

D# nona aumentada enarmônica com décima menor Eb

E décima maior

F décima primeira justa

F# décima primeira enarmonica com decima segunda diminuta Gb

G= Décima segunda justa

G#= décima segunda aumentar com décima terceira menor Ab

A= décima maior

A# = décima terceira enarmonica com décima quarta Bb

B= décima quarta maior

C= décima quinta justa

Total de 24 semi tonalidades…

Intervalo simples dentro de uma oitava e intervalo composto passa de uma oitava.

A tônica é a nota que define em que tom estamos. Não existe tônica maior ou primeira elevada

O Db recebe classificação por ser a segunda menor e é enarmonica com D# mesmo não tenho classificação.

Olhando para os intervalos vamos nos deparar , com maior, menor, aumentada, diminuta e justas.

A quinta justa é uma consonância perfeita considerada boa para os ouvidos sua sonoridade.

Quando se fala em dissonância se refere em qualidade de som em conflito. é o som que chega ao ouvidos parecendo que tem algo fora de algo aceitável. Usado muito na musica como uma passagem que logo a seguir vem algo de resolução, ou seja um momento dissonante e depois um momento que soluciona

Exercício 01  com palhetada alternada faça até o fim e retorne

3

Exercicio 02 com palhetada alternada e harmonizando duas notas ao mesmo tempo.

4

 

 

  • Gabrielly Rosa Dantas

    de C mais grave até encontrarmos outro C são oito notas? Explique!!!

    • Edinaldo Elias

      Na verdade de C até o outro C mais agudo vão acontecer 12 semitons. 12 notas e nelas iremos nos deparar em sentido subindo com acidente sustenidos e descendo acidente bemol.