Tecnologia Aprimora a Resina Odontológica

Resina Odontológica

Resina Odontológica

Muito utilizada para a restauração de áreas afetadas pelas cáries, a resina odontológica é cada vez mais escolhida pelos dentistas. Criada por Rafael Lee Bowen, em 1965, a resina composta – como também é chamada – provocou uma verdadeira revolução no tratamentos odontológicos de reparações estéticas, uma vez que é translúcido como o dente e ainda possui a mesma cor. Mas embora a resina possuísse uma infinidade de vantagens e aplicações nestes tipos de tratamento, sua utilização tinha um problema em potencial: no chamado ‘processo de polimerização’, a resina tinha sua eficácia comprometida.

Neste processo ela começava a sofrer “rachaduras”, o que abria espaço para a infiltração de bactérias que prejudicavam a saúde dentária. A tecnologia foi a porta de saída para aumentar a vida útil da resina no ambiente bucal e combater este problema. Foram realizadas pesquisas com um elemento chamado ‘polietileno de alto impacto’, o mesmo usado na construção de janelas de avião e boxes de banheiro.

Experiências com o polietileno de alto impacto e outros elementos culminaram no desenvolvimento do que chamamos hoje de resina composta. Sua durabilidade e resistência às ações do tempo e do impacto da mordida é infinitamente maior, uma vez que, nesta “nova fórmula”, o composto apresenta uma capacidade de absorção da tensão residual e ainda manteve a mesma rigidez da fórmula criada por Bowen.

Por meio deste aprimoramento, a resina odontológica, que já é muito usada para substituir as restaurações de amálgama, tem sido amplamente utilizada, não só em reparações estéticas, mas também para o alongamento de dentes e reestruturação da mordida.