Suplementos e Complementos Alimentares

suplementos e complementos alimentares

suplementos e complementos alimentares

Quem já não ouviu alguém mais velho dizer que, antigamente, ninguém precisava complementar a alimentação porque todo mundo comia só coisas saudáveis? Isso era antes do fast food, diziam eles. Mas os complementos e/ou suplementos alimentares não são usados exatamente por esse motivo. Eles não são substitutos da comida normal, como muitos podem pensar. São formas artificiais de suprir o organismo de vitaminas e outras substâncias necessárias a determinadas tarefas.

No geral, os esportistas são os maiores consumidores de suplementos alimentares. Com eles, quem pratica uma atividade física regularmente pode obter maior desempenho, pois obtém nutrientes básicos e essenciais sem a presença de gordura, existente na comida. Existem vários tipos de nutrientes que podem ser encontrados em formas de pílulas, pós, xaropes e pastilhas, como proteínas, carboidratos, aminoácidos, vitaminas, entre outros.

Mas outros grupos de pessoas têm sido incentivados a complementar a sua dieta com algum tipo de reforço. Os idosos e as crianças, por exemplo, que precisam de determinadas vitaminas e substâncias presentes no leite, mas que tem intolerância à lactose podem dessa forma obter a quantidade necessária de cálcio. Os complexos vitamínicos são outro exemplo de complemento muito comum entre o público em geral. Eles agora já vêm com especificações próprias para diversos grupos, como para as mulheres, para os homens, para maiores de 60 e menores de 12 anos. Sem falar na vitamina C, tão popular durante o inverno por ajudar a combater a gripe. Há outros ainda que prometem beleza e saúde em geral.

As grávidas também são um grupo alvo de complementos de ácido fólico, cálcio e ferro, principalmente. São substâncias consideradas fundamentais para o desenvolvimento do feto e a saúde da mãe. O ácido fólico é o responsável por criar um bebê saudável, sem risco de defeitos congênitos. A deficiência de cálcio na mãe durante a gravidez pode estragar os dentes desta e até causar raquitismo na criança, enquanto a deficiência de ferro pode causar anemia e debilitar a mãe a ponto de reduzir a sua sobrevivência ao parto.