Sobretudo as Mamães!

Uma coisa chata que acontece no outono é a mudança da estação mas de maneira meio indefinida. Hoje pode fazer um frio daqueles caprichados, mas nada impede que amanhã o tempo esquente até quase parecer verão. Em algumas regiões do Brasil, essa variação das temperaturas (chamada de amplitude térmica) é tão rude que chega até a assustar! Em algumas cidades, nessa época do ano (abril, maio) o dia costuma amanhecer friozinho, coisa de 17 graus, mas chega até os 27 ou 28 no início da tarde. E quando a noite cai, devolve todo mundo pra friaca da manhã. Haja saúde!

Quem é que aguenta isso sem gripar??

Mulher grávida olhando termômetro

Mas depois o tempo toma uma decisão: “vou esfriar”, e os dias ficam permanentemente frios. É aquela história: acorda de moletom, sai de casa de moletom, volta pra casa de moletom. Aliás, nessa época. Se fosse possível, a gente nem sairia de casa sem ter um cobertor enrolado no corpo! Mas tem uma solução muito elegante pra quem quer o corpitcho todo protegido assim sem passar ficha de doido: o sobretudo. E essa é uma peça que vai com qualquer pessoa, sem contra-indicação, não importa a altura nem o peso. Até a moda gestante adotou a peça! É cada um mais lindo que o outro!

Metabolismo em alta, e temperatura em baixa

Grávida usando sobretudoClaro que você já deve ter ouvido falar que as gestantes, por estarem com o metabolismo mais acelerado devido à gravidez, sentem menos frio. Mas isso não quer dizer que não sintam frio nenhum, oras! Sentem sim – e dependendo da região em que estão – a gestação pode ser de quadrigêmeos, que elas vão tremer nas bases! Imagine o frio do sul do país?? As temperaturas por ali podem chegar a vários graus negativos, com direito a granizo, neve e aquele vento cortante que parece até congelar o ar que já está dentro dos nossos pulmões. Afe!

O sobretudo, claro, não resolve esse problema do frio mas sem ele a gente fica, definitivamente, desconfortável e com aquela sensação de que “devia ter colocado mais uma blusa”. Principalmente quando está ventando, aliás! Não importa quantos casacos você colocou: se não tiver algo pra “fechar” o corpão, o vento vai entrar MEEESMO. E essa é a função do sobretudo: arrematar o visual e isolar a armadura, digo, as blusas do ar frio, mantendo o ar que está em contato com o corpo aquecido.

É capote, mas tá na moda

Aliás, tá na moda SEMPRE! Não há certeza mas, ao que tudo indica, o sobretudo surgiu no século XIX, derivando da chamada casaca – um casaco feito em tecido muito pesado usado nos invernos rigorosos dos ingleses. Essa peça chegou ao Brasil por intermédio dos imigrantes europeus de maneira geral (afinal, não eram só os ingleses que o usavam). Mas, como sempre acontece com todas as peças, a moda provocou suas modificações. As grandes abas dos casacos masculinos foram substituídas por recortes mais discretos e lapelas, as opções em tecidos pesados deram lugar a tecidos mais leves (com ou sem forro) e as cores sóbrias aos poucos foram cedendo a cores fortes e vibrantes.

Grávida usando SobretudoEm geral, é difícil ver um sobretudo com estampa. Eles costumam ser confeccionados em tecidos de cor lisa e – isso sim – recebem detalhes com cores diferentes, estampas tipo animal print ou peles falsas nos pulsos e gola. A maioria dos modelos tem uma faixa para a cintura, mas também não é obrigatório; inclusive, os modelos femininos têm um recorte já cinturado para aquelas que não querem nada amarrando a cinturinha.
E para as gravidinhas, a moda gestante também traz opções que são umas graças. E o melhor: dá pra continuar usando depois que o filhote nascer!

Existem modelos mais cinturados e outros mais folgadões, já prevendo o barrigão do “fim da fase”, que podem ser usados com faixa ou cinto largo enquanto ele não fica muito grande. Mas é bem comum ver gravidinhas usando sobretudo sem fechá-lo – algumas por estilo, outras porque ele já não fecha mais, rsrsrs! Mas isso não é empecilho, já que essa peça é tão bacana que mantém o charme mesmo aberta.

Dicas? Sim, há uma bem legal de seguir. As gravidinhas com menor estatura devem evitar aqueles sobretudos que vão até a canela porque a tendência é que o visual delas fique “achatado”, dando a impressão de que elas são ainda mais baixas. Use aqueles que vão até o joelho ou o meio da coxa. Essa dica também merece ser seguida pelas gestantes mais cheinhas pelas mesmas razões. No caso de mamães mais altas e magras, qualquer comprimento fica bonito.

Anotado? Faz muito frio na sua cidade? Que tal a ideia do sobretudo, hein? Hein?