Sinatra, a Mafia e Scorsese

Já muitos desconfiavam das ligações de Frank Sinatra à Mafia. Outros tinham mais certezas. Frank Sinatra estava pelo menos bem conectado com alguns Wise Guys.

O escritor Mario Puzzo, autor da saga “O Padrinho” misturando a sua imaginação com factos e personagens reais, criou o cantor Johnny Fontane a pensar em Frank Sinatra.

Para aprofundarmos o tema para além das insinuações e desconfianças, recomendo a tão excelente como arrepiante série documental Crime Inc, de inicios dos anos 80, onde num episódio o antigo chefe da Mafia de Los Angeles Jimmy Fratianno põe a água na fervura em relação aos supostas conexões de Sinatra. Fratianno foi um dos mais proeminentes mafiosi a entregar-se ao FBI, acabando por ser importante na denúncia de figuras chave da Cosa Nostra norte-americana como o poderoso Carmine “The Snake” Persico , o boss da família Colombo.

Existem também relatos acerca de uma certa atitude “tu sai-me da frente…” com que Sinatra circulava pelos casinos de Las Vegas nos anos 60, comandados na altura pelo Chicago Outfit. Não se sabe ao certo se derivava da atitude de estrelato ou das costas largas que o cantor e actor teria naqueles tempos.

Como já se sabe, Martin Scorsese vai realizar um filme sobre a vida de Frank Sinatra, é uma excelente notícia. Scorsese como amante da verdade e perscutador cinematográfico dos lados sombrios da existência, de certo não irá passar um “lápis azul” aos aspectos mais negros da vida de Sinatra. Pode-se compreender que a familia não tenha gostado mesmo nada da ideia. Mas passando em frente, Scorsese tem tudo para criar dali uma bomba cinematográfica, o tal clássico que não se vê desde “Good Fellas”. Em primeiro lugar porque é um melómano assumido, com os seus filmes e documentários sobre músicos ou filmagens de concertos – Bob Dylan, Rolling Stones, The Band, os Blues… Depois pela forma como sabe enquadrar a música nos seus filmes – “Good Fellas”, “Casino”, “Taxi Driver”, “The Departed”, etc e etc. Aí acabou por fazer escola e ter em Quentin Tarantino um digno continuador…

Como Sinatra, Coppola ou De Niro, Scorsese tem raízes com o modus vivendi e tradições da comunidade italo-americana. Cresceu paredes meias com a Mafia em Little Italy. Conhece o enredo como ninguém, o que certamente contribuiu para pérolas cinematográficas como o excelente “Mean Streets” sobre a Máfia “soldado raso”, ou o também excelente “Casino” com o Chicago Outfit em Las Vegas e a obra-prima “Good Fellas” sobre Henry Hill e meandros da familia Lucchese.

Por fim a tumultuosa personalidade do genial Frank Sinatra, aventureira e (auto) destrutiva tem algo de Scorsesiano. De certo haverá também um lado mais luminoso, amigável e criativo a explorar. Vamos esperar para ver como será tudo transformado em Cinema.