Ser Voluntário

Muitas pessoas que praticam a caridade por meio do serviço voluntário buscam força na palavra do evangelho. Esta palavra lhes dá coragem, pois Deus, ainda que sejamos infiéis, não se esquece de nós. Ele nos dá o poder de vencer, em nome de Jesus, os males que afligem as pessoas e garante que nossos nomes estão escritos no céu. Somos a vinha do Senhor, cuidada com carinho pelo Pai e regada pelo sangue de Cristo para que produza os frutos de paz e de vida que Deus deseja e espera de nós. O Batismo nos comprometeu com uma missão da qual não podemos fugir.

O nosso compromisso

Nosso primeiro compromisso é para com Deus e para com o próximo, aquele que vive ao nosso lado. O Cristão vive a dinâmica da constante conversão. Por isso é necessário fazer como Maria: escutar o que o Senhor tem a dizer, para crescer na compreensão e no cumprimento da vontade de Deus. Como seguidores que rezam com espírito de Jesus, os Cristãos devem aprender que toda sua vida é resposta de agradecimento à iniciativa de salvação que vem do amor do Pai. A perseverança faz parte da vida do cristão e é princípio fundamental de toda doutrina do evangelho sobre a oração.

Quando as coisas não andam bem, não se pode culpar a Deus, mas sim a nossa inconstância. Deus está sempre atento aos que o buscam e por isso devemos ser perseverantes na oração, pois é ela que anima e nos dá força na dúvida e na incerteza. Devemos sempre venerar a Maria, que teve o privilégio de ser mãe do salvador, nosso mestre. Ela tornou-se o sacrário vivo de Jesus e o entregou à humanidade. Os sinais de Jesus se manifestam em nossa história. A consciência de que somos chamados por Deus à santidade e de que Jesus se faz presente nos mais necessitados é o grande sinal dos nossos tempos.

A justiça de Deus

A justiça salvífica de Deus é oferecida indistintamente a todos os que creem em Cristo. Ela tem sua fonte na redenção operada por Jesus, que nos convida a superar toda hipocrisia, grande obstáculo à ação eficaz da Igreja. A fé em Deus ajuda a superar todos os medos e dificuldades, pois ele é o Senhor da vida, nosso refúgio e proteção. O trabalho de evangelização por meio do serviço voluntário não é fácil e por isso, muito o rejeitam. Mas Jesus insiste em convidar pessoas generosas para assumir com responsabilidade essa tarefa. O trabalho voluntário também se põe a serviço da Justiça e por onde passa, provoca mudança e conversão. Nem sempre a pessoa consegue fazer o bem que se propôs a realizar. Para isso, é preciso estar atento aos sinais dos tempos e assumir opções acertadas.

A bondade de Deus age em cada um de nós constantemente, e, como herdeiros dele, estamos comprometidos a fazer o bem, sem medir esforços nem aceitar restrições. Mesmo sabendo que o Espírito de Deus vem em nosso auxílio, o voluntário não pode esquecer a sua parte na tarefa missionária. Colaborar na construção do reino exige renúncia e desprendimento. Às vezes algumas atitudes cristãs podem incomodar interesses instalados na sociedade e até trazer rejeição, mas o Espírito de Deus não se afasta, ele nos ama e nos dá coragem na caminhada. É importante também que as boas ações devem ser acompanhadas da reta intenção, isto é, ser realizadas segundo o Espírito generoso de Deus, sem esperar retribuição ou benefício próprio. Por fim, qualquer função que assumimos de coração e com humildade, preservando os valores cristãos, ajuda-nos a contribuir para a unidade do povo de Deus e a Paz no mundo. Visita também o site Cosmos.eti.br.