São Paulo Poderá Ter 100% de Atendimento em Três Itens do Saneamento Básico

São Paulo poderá ter, até 2018, atendimento de 100% em três itens referentes ao saneamento básico. São eles:

  1. 100% de coleta de esgoto;
  2. 100% de tratamento do esgoto coletado;
  3. 100% de abastecimento de água.

O presidente da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp), Gesner Oliveira, disse em entrevista ao Jornal da Manhã que pretende universalizar os serviços de saneamento.

Como está o saneamento básico no Estado de São Paulo atualmente?

De acordo com a Pesquisa Nacional de Saneamento Básico 2000-2008 (PNSB), de autoria do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), apenas 1 dentre os 645 municípios do Estado de São Paulo não possuía o serviço esgotamento sanitário por rede coletora na época da pesquisa. Aproximadamente 78% dos municípios do estado tratam o esgoto coletado.

Quanto ao abastecimento de água, 87,5% dos domicílios situados na região Sudeste são abastecidos com água a partir da rede geral.

O que fazer quando a rede coletora de esgoto é inexistente?

Quando a rede coletora é inexistente, há várias opções para a realização da coleta. A seguir, cito três, sendo duas soluções viáveis e a outra completamente incorreta e que deve ser evitada ao máximo:

  • Uso de banheiros secos não necessita de coleta;
  • Uso de fossas sépticas em combinação com contratação de empresas especializadas em desentupimento, higienização e limpa fossa;
  • O descarte de esgoto a céu aberto em rios, lagos e córregos, dentre outros locais deve ser evitado porque contamina as fontes de água, provoca doenças e sobrecarrega o sistema de saúde pública.

Enquanto a prometida universalização do saneamento básico não acontece, é melhor utilizar soluções alternativas de maneira que as doenças provenientes do esgoto e da contaminação da água fiquem bem longe da família, amigos e vizinhos.