Risco calculado, potencial aumentado

Quando uma ideia dentro de projetos empresariais é bem aceita no início, não significa que ela já está garantida. Na verdade, é a partir desse ponto que o trabalho se complica. O empreendedor atento sabe que o consumidor de hoje não é passivo como aquele de poucas décadas atrás. Ele sabe que o público está sempre atento, reconhece e diferencia produtos de qualidade comprovada daqueles de qualidade duvidosa e mais: ele enjoa dos produtos. Sim! Ele enjoa. Logo ele quer algo parecido, porém novo. Seja uma cor diferente, uma nova funcionalidade, um novo diferencial, e isso obriga o empreendedor a fazer uma coisa trabalhosa chamada pesquisa de mercado. “O que meu cliente quer agora? O que ele tem visto por aí que o agrada?”

O-mercado-se-agita-cada-vez-mais-por-atualizações-e-avanços-na-produção.Essas mudanças são importantes porque uma hora a produção do produto atual vai começar a encalhar em cima dos paletes no galpão de estocagem e fazê-los escoar dá muito mais trabalho do que se pensa. É importante que a perda de interesse seja percebida o quanto antes – e que já haja uma novidade engatilhada, pronta para entrar na linha de produção e manter o giro financeiro da empresa em ordem, porque o consumidor, além de atento e facilmente entediante, é também impaciente. Ele não gosta de esperar muito tempo para que surjam novidades.

O público consumidor brasileiro é assim mesmo: às vezes incrível, às vezes difícil e exigente ao extremo. Mas quando conquistado, vale muito a pena. Você está preparado pra ele?

Destaque o seu trabalho sobre a concorrência

Pode ser que a sua equipe de profissionais não seja a melhor dentro do seu seguimento, seja pela sua empresa não conseguir recompensar financeiramente seus funcionários de acordo com que a categoria privilegia ou por ter não ter os mesmos recursos e suporte que seus concorrentes. Mas isso não quer dizer que você terá que se contentar em ver seus concorrentes lucrarem e você oferecer um trabalho secundário.

Se o seu produto ou os seus profissionais não são os melhores do mercado, o que pode ser feito, é valorizar os seus funcionários para que eles se sintam confortáveis para fazer melhor o seu serviço. Com isso, você consegue garantir um bom padrão de qualidade de seu produto, e mantem uma boa imagem com o consumidor, além de melhorar a relação de seus funcionários (que trabalharão com muito mais vontade e prazer em representar sua empresa) com os seus clientes (que serão melhores atendidos e consequentemente se tornarão mais fiéis ao seu serviço).

O-relacionamento-é-a-chave-para-a-conservação-da-sua-empresa.O mais interessante é que esse sistema se aplica a múltiplas situações. Tanto na empresa grande como na pequena, em todo e qualquer seguimento de mercado, independentemente da disparidade de um produto para outro da categoria. É claro que você como empresário precisa focar em melhorar o seu produto, mas a parte de relacionamento da sua empresa com funcionário e cliente é muito mais importante do que parece.

E pela característica do povo brasileiro, tratá-los bem significa torna-los fieis por um bom tempo, garantindo a saúde do seu negócio. Com estas precauções ensaiadas – e um bom plano B mantido e seguido à risca -, pode-se dar toda atenção à produção.