Repórter Foge do País com Ameaça de Morte

Advogados-TrabalhistasO Brasil passou por uma fase em que teve que lutar com unhas e dentes contra a ditadura, no qual as pessoas não podiam expressar as suas opiniões sobre todas as coisas que aconteciam no país, se não eram ameaçadas de morte e até mesmo torturadas antes de terem os seus corpos jogados em alguma sarjeta da cidade.

Vivíamos em tempos de medo, onde tínhamos que viver nos escondendo e pensando muito antes de falar qualquer coisa que fosse nos prejudicar. Mas, hoje vivemos em um país livre em que podemos falar tudo o que pensamos, será mesmo?

Recentemente o repórter André Caramante escreveu uma pequena nota onde denunciava um ex-chefe da rota que estava fazendo propaganda de violência em seu perfil em uma rede social, o coronel reformado da Polícia Militar Paulo Adriano Lopes Lucinda Telhada, que na época estava como candidato a vereador e hoje já conseguiu se eleger.

A partir desse momento a vida do repórter virou um caos, onde recebia ameaças todos os dias de pessoas que chegavam até mesmo a falar “bala nele”, transformando sua vida em viver se escondendo e não saindo quase na rua com medo de que as ameaças se tornassem reais. Depois de um período muito curto, essas ameaças começaram a chegar a seus familiares, o que fez com que sua família decidisse por sair do país para se proteger, da onde ele continua trabalhando sem declarar a sua localização.

Por mais incrível que possa parecer, Caramante é um dos repórteres mais respeitados na área de segurança pública e precisou fugir e não confiar nela. Felizmente, ainda existem repórteres e advogados que lutam pelo direito de liberdade de expressão que é de direito de todos os cidadãos e que consta na Constituição brasileira.

O que não pode é as pessoas ficarem caladas vendo essas situações, é necessário que todos lutem pelos seus direitos e usem de advogados especializados para se defenderem e conseguirem sempre ter todas os seus direitos respeitados. Agora esperar que a justiça seja feita e que o jornalista possa retornar ao seu país de origem sem ficar com medo pela sua vida estar em risco.