Quem nos Livrará de Nós Mesmos?

No princípio, Deus criou os céus e a terra. Era a terra sem forma e vazia e trevas cobriam a face do abismo. Isto não era uma visão muito agradável de se ver, não é mesmo? Entretanto, aquele quadro veio sendo mudado, trabalhado com esmero e dedicação e, no final da obra, ficou lindo e maravilhoso.

Ficou tudo pronto para receber a coroa da criação: O homem. Então, ele veio, saudável e puro, forte e eterno, recebeu tudo aquilo que fora criado para o seu deleite e para sua sobrevivência, não havendo nenhuma necessidade de se preocupar com o que comer, nem com o que se vestir. Mas, ele também recebeu uma ordem, uma única ordem, que se fosse desobedecida colocaria tudo a perder. Ele desobedeceu, e pôs tudo a perder. Por sua desobediência, a terra foi amaldiçoada, a morte entrou no mundo, o homem deixou de ser forte e eterno, e para comer tem que ser do suor do seu rosto, nada mais lhe vem de graça e, agora, ele tem que se vestir, comprar o pão, ir ao supermercado, pagar a energia elétrica, o gás de cozinha, à água que ele bebe.

Não satisfeito com o que ele fez, que trouxe prejuízo para toda a humanidade e sua posteridade, o contemporâneo cava buracos para tirar o ouro, a prata, o petróleo, corta as árvores que lhe foram dadas com tanto amor, põe asfalto no chão e esquenta todo o ambiente onde ele vive, além de impermeabilizá-lo e impedir a penetração da água no solo. Até os peixes comem dos sacos plásticos que o abençoado joga no mar, e olha que tem sacos de lixo nos lugares mais lindos e mais inóspitos deste planeta, outrora maravilhoso.

Com suas atitudes mesquinhas e egoístas, para não mencionar gananciosas, o homem colocou a sua existência em risco em um patamar nunca dantes visto e, hoje, toda a humanidade corre o sério risco de ter que guerrear pela água que bebe e ter com o que se alimentar, e para preservar um pedacinho que seja daquele lindo lugar, onde viveu o homem em comunhão com o Criador. Quem poderá nos livrar de nós mesmos? Só Deus.