Que tal um Escorpião Frito? A Cozinha Ecologicamente Correta

Antes de mais nada quero deixar bem claro pra você que acho um porre esse negócio de pontinho-pontinho correto: politicamente, ecologicamente, socialmente, sexualmente e tantos outros “corretos” com que tentam controlar nossas vidas e atazanar nosso dia a dia.

Acho tudo isso um saco!

Imaginem um mundo onde todos pensam igual, se vestem igual, comem literalmente – igual; um mundo onde as diferenças de pensamento não são bem-vindas, onde um não terá nem mesmo o direito de dizer a outro: não gosto de você, não vou com a tua cara!

Nessa mesma linha de raciocínio poderíamos dar uma espetada no preconceito racial – como se define? Racialmente correto? – pois digamos que você apareça na TV e faça uma piada sobre os dois neurônios de uma loura. Talvez alguns riam, outros não. Porém faça a seguinte experiência: troque a cor da pele da mulher e em vez de uma loura, uma negra!

Pobre de você meu filho!

Esse Brasil tá muito estranho mesmo. Uns diriam bizarro.

 

Cientistas propõe insetos como fonte de alimento

Cientistas propõe insetos como fonte de alimento

Pois bem, dito isso, vem dos Estados Unidos a mais nova proposta do universo ecologicamente correto: comer larvas, escorpiões e outros bichos fritos. O projeto inclusive já está na web sob o título “girlmeetsburg, que literalmente significa garota descobre os insetos. O ensejo seria acabar com o ceticismo ocidental difundindo uma tal de cozinha insetívora.

A ideia é de Daniella Martin que se descobriu apaixonada por insetos quando estudava antropologia em Yucatan, no México. Inclusive lançou em vídeo uma série de lições mostrando como proceder com cada animalzinho. Por exemplo, para poder saborear uma deliciosa larva frita (arg!), as mesmas devem ser congeladas ainda vivas um dia antes da irem para a panela.

Vejam bem, ela fala em “congelar os animais vivos”. Legal. Isso quer dizer que além de ecológicas, são cruelmente corretas!

Até aí tudo bem. Mesmo que eu ache bastante nojento e até cruel, dá pra segurar a onda, fechar os olhos e…tapar a boca!. O bicho pega – e pega mesmo! – é na hora de preparar os escorpiões. Eles também devem ser congelados um dia antes, o problema é que algumas espécies tem a infeliz mania de se reanimarem logo após o descongelamento.

Agora imagine um monte de escorpiões na frigideira, você com uma fome de leão e os danados dos bichinhos tentando pular fora, caindo no fogo ou no chão da sua cozinha!

Lá da sala, teu filho grita: tô com fome!

E você: peraí aí filho que nosso almoço tá me atacando!!

O objetivo de Daniella e algumas de suas amigas que aderiram à ideia, seria difundir no mundo a prática do consumo de insetos, fazendo com que nós seres humanos deixemos de ser carnívoros e nos tornemos insetívoros e assim diminuir a criação de animais de corte, como o bois e porcos por exemplo que, dizem, são responsáveis por grande parte dos gazes do efeito estufa.

Dizem que os insetos são ricos em ferro, proteínas, cálcio e outros bichos – com trocadilhos, por favor.

Concordo que as coisas não vão bem, que aqui e ali a natureza tá mostrando as suas garras, mas daí a comer escorpião frito vai uma grande distancia!

Em todo caso se você aderir à moda, te peço para não me convidar para o teu churrasco de espetinho de grilo, tá bem?

Prefiro ficar com a boa e morta maminha de alcatra ecologicamente incorreta.