Prontuário Eletrônico – Medicina Aliada a Tecnologia

Quando os prontuários eletrônicos do paciente (PEPs) começaram a ser usados amplamente, no fim da década de 90, muita gente, principalmente médicos foram contrários a sua implementação. Hoje o cenário é um pouco diferente, eles se mostraram seguros e muitos que duvidaram hoje o usam da diferentes formas. O Brasil ainda engatinha quanto ao seu uso, principalmente por não ter regras específicas para seu uso e também pela recusa de profissionais, que ainda não veem com bons olhos o uso da tecnologia.

Em contrapartida já existe o e-SUS, um sistema com prontuário eletrônico do cidadão, que pode atender as necessidades do município, que tiverem suas unidades de saúde informatizadas. Saiba sobre esta facilidade e como o prontuário eletrônico pode beneficiar a vida de pacientes, sobretudo os mais carentes.

O que é o prontuário eletrônico

Prontuário EletrônicoBasicamente o prontuário eletrônico é o conjunto de informações a respeito do quadro clínico de uma paciente em um médio digital, acessado tanto pela internet, quanto smartphones, tablets ou aparelhos específicos para este fim. Como em um prontuário convencional, no PEP estão contidas informações clínicas e administrativas que podem ser compartilhadas por diferentes profissionais de saúde ao longo do tratamento do paciente. Trata-se de um registro legal das ações médicas, que são armazenadas em um software específico para este fim.

Com o prontuário é possível fazer estudos clínicos e epidemiológicos, bem como a avaliação quanto ao tratamento e qualidade do tratamento, podendo ser usado para promover o ensino e o gerenciamento de serviços. Além disso, com o prontuário eletrônico será mais fácil autorizar seguros, receitar medicamentos e outras ações.

Vantagens

O acesso aos dados do usuário podem ser simultâneos, sendo possível que mais de uma profissional tenha acesso as informações, com a possibilidade de visualizar pela internet. Os dados são mais fáceis de visualizar do que os prontuários convencionais, que por serem redigidos a mão, nem sempre são legíveis. Há segurança dos dados em um sistema projetado para realizar backups seguros, garantido a segurança e que os dados não irão se perder. Sem contar que as informações podem ser visualizados pelo paciente sem sair de casa, podendo este, monitorar suas informações.

celular

O  formato eletrônico permite uma flexibilidade maior da interface e é possível que o dados sejam visualizados em ordem cronológica ou de acordo com as necessidades do paciente ou médico, por exemplo. Com o meio digital é possível integrar com outros sistemas de informação, além de outras bases de dados, podendo ser armazenados localmente ou à distância. Também é possível capturar automaticamente os dados, como imagens, tabelas, gráficos, exames, evitando assim erros de transcrição.

O uso do prontuário eletrônico também permite um controle maior dos dados, verificando sua consistência, erros e avisos aos profissionais. Os dados podem ser usados em texto livre, permitindo a pesquisa por meio de palavras – chave. Os relatórios podem ser impressos de acordo com a necessidade dos profissionais ou do paciente, sendo possível também mandar alertas por e-mail ou mensagem diretamente para o paciente.

e-SUS

O e-SUS-AB PEC é um sistema de prontuário eletrônico do Cidadão que pode ser usado em municípios em que as unidades foram informatizadas, ou que possuem conectividade e profissionais capazer de realizar sua implementação. O e-SUS é um software, que permite ter uma tecnologia avançada, suporte clínico e melhor integração dos serviços de saúde. Com ele é possível ter uma coleta mais eficiente de dados, gerando menos fichas e maior integração com os diferentes meios de comunicação.Prontuário Eletrônico

Com o software apresenta uma ferramenta para o cadastro de pacientes em todo o país, permitindo a gestão da agenda dos profissionais, além do atendimento individual e registro de atividades de diferentes profissionais. Conforme o tempo, o software foi modificado e já possui uma abordagem mais familiar, que permite o controle de imunização. Foram adicionadas ferramentas para configurar o prontuário de saúde bucal, gestão da lista de espera e consultas. Além da gestão de doenças crônicas com integração ao Telessaúde e geração de relatórios dinâmicos. Com o novo sistema pode-se monitorar pacientes faltosos e realizar controle de medicamentos e exames remotamente, pelo computador ou tablet.

O e-SUS foi elaborado de uma forma que não é necessário que as unidades de saúde tenham computadores, já que o software tem caráter transitório, que pode ser usado até que os municípios alcancem os padrões necessários para implantar um prontuário eletrônico com sua própria base de dados. Usado dessa forma, os dados são coletados em fichas convencionais de papel para substituir os sistemas atuais, como o HIPERDIA ou SIAB. O e-SUS permite desburocratizar o sistema e dar mais agilidade ao atendimento.