Postura do Universitário e Pesquisa Científica

Postura universitária e pesquisa científica

Postura universitária e pesquisa científica

Principais idéias: “ler o texto sentido subjetivo e objetivo, ele é um sentimento de saber do que se trata, de não ter dúvidas; no segundo, uma habilidade intersubjetivamente acessível e controlável, que pode assumir diferentes formas em função de sua complexidade intelectual”.

O que é entender um texto?

Antes de entender um texto devemos entender que tipo de análise está sendo proposta. Devemos ter cuidado na análise para citar exatamente o que está no texto. Na análise objetiva de um texto científico sobre assunto específico, devemos mencionar apenas o que está no texto. Não importa o que achamos, sobre o assunto que lemos o que importa é apenas interpretar o texto. Alguns textos podem conter muitas palavras semelhantes cujo sentido é um pouco ou totalmente divergente do que está escrito; que mesmo não contendo exatamente as mesmas palavras do texto, é semelhante em seu sentido.

Interpretação é um exercício bom que requer muita atenção nos enunciados e conhecimento do vocabulário. Parece fácil, mas não é. Prova disso é a não aprovação em concursos por parte de muitos., em virtude de não entender o texto ou textos.  Alguns defendem que entender um texto é buscar o sentido atribuído por seu autor. Sendo assim, a boa compreensão seria aquela que descobre o que o autor queria dizer quando escreveu o texto. Mais do que isso, a interpretação que corresponde ao sentido “original” do texto – ao sentido dado por seu autor é verdadeira, e todas as demais falsas.

Para entender o que é interpretar um texto sem admitir a existência de um sentido escondido por detrás do texto, precisamos operar uma inversão fundamental: temos que admitir que quem dá o significado para o texto é quem o lê (ou interpreta) e não quem o escreve. Assumindo tal posição, nos distanciamos do realismo e, com isso não faz mais sentido classificar as diferentes interpretações como verdadeiras ou falsas, corretas ou incorretas. Mas será, então, que não há parâmetros para avaliar o entender um texto?

Ou seja, será que toda e qualquer interpretação é válida? A resposta é sim e não. Sim porque a princípio o texto admite uma infinidade de interpretações porque admite uma infinidade de significações. Mas, por outro lado, a resposta é não porque uma interpretação pode ser avaliada como possível ou absurda, interessante ou desinteressante, produtiva ou paralisante (embora, nunca como verdadeira ou falsa), indicando, assim, que deve haver algum tipo de modelo para se julgar um entender. Quando o intérprete constrói um significado para o texto, ele está filiando esse texto a uma tradição de pensamento, bem como excluindo a possibilidade de outras tradições.

É justamente esse movimento que fundamenta a avaliação do entender o texto. Dado que o sentido em cada texto é único, o máximo que podemos fazer é estudar os vários textos, seguindo uma ordem cronológica, para rastrear possíveis mudanças desse sentido no decorrer da obra. Para ler e entender um texto é preciso atingir dois níveis de leitura: Informativa e de reconhecimento; Interpretativa. A primeira deve ser feita cuidadosamente por ser o primeiro contato com o texto, extraindo-se informações e se preparando para a leitura interpretativa. Um texto para ser compreendido deve apresentar idéias seletas e organizadas, através dos parágrafos que é composto pela ideia central, argumentação e/ou desenvolvimento e a conclusão do texto.