Por que certificar produtos?

A certificação de Produtos é uma documentação que comprova que os produtos fabricados pelas empresas estão em conformidade com as todas as exigências normativas e padronizações do INMETRO. Assim, é necessário que os objetos sejam registrados junto à empresa, por meio do sistema orquestra Inmetro.

Quais produtos necessitam de registro?

Abaixo estão listados alguns dos produtos que necessitam de Registro junto ao INMETRO:

  • Artigos de Festas;
  • Artigos Escolares;
  • Arla 32;
  • Berços;
  • Carrinhos para Bebê;
  • Componentes Automotivos;
  • Componentes de Bicicleta de Uso Adulto;
  • Panelas Metálicas;
  • Pneus;
  • Rodas;
  • Ventiladores;
  • Entre outros.

Essa documentação deve ser emitida por um organismo de certificação acreditado pela Coordenação Geral do Inmetro. O Inmetro avalia o produto e, caso aprovado, emite a certificação em alguns dias para a empresa. A certificação pode ser de dois tipos: certificações voluntárias e certificações compulsórias, dentro do Sistema Brasileiro de Avaliação da Conformidade.

Qual a diferença?

A certificação voluntária parte de uma decisão das próprias empresas fabricantes ou importadoras que desejam obter essa documentação, mesmo ela não sendo obrigatória. Essas empresas geralmente visam a diferenciais competitivos, provando, assim, a credibilidade e confiabilidade de seus produtos ou serviços.

A certificação compulsória é exigida obrigatoriamente, pois refere-se a produtos incluídos em regulamentos e portarias do INMETRO. Se o produto estiver na lista, ele não poderá ser produzido ou comercializado enquanto não obtiver a certificação. Essa portaria também estabelece todos os requisitos e diretrizes que padronizem a produção e comercialização do produto com segurança, além do prazo disponível para que a empresa se adeque às normas.

Dessa forma, é necessário que as empresas verifiquem se os produtos por elas comercializados se enquadram na categoria de certificações voluntárias ou na categoria de certificações compulsórias.

É importante ressaltar, entretanto, que o próprio mercado, seja por ações da concorrência, seja por exigências do público consumidor, incentiva as empresas a obter a certificação, mesmo quando não é obrigatória, uma vez que ela promove uma melhor relação tanto com fornecedores quanto com clientes, que buscam cada vez mais segurança e qualidade por preços justos.