Para onde vou quando Morrer?

Esta, normalmente, não é uma pergunta muito agradável de responder a nós mesmos, e é ainda mais difícil quando ela nos é feita por outra pessoa. No entanto, ela faz parte de uma série de perguntas que o homem vive se fazendo como, por exemplo, “quem sou, de onde vim e para onde vou”. Talvez, uma história interessante nos possa remeter ao caminho da verdade, quanto às respostas que tanto buscamos.

Trata-se de um testemunho dado por um membro da Igreja Batista, quanto ao processo de sua conversão à Cristo. Á época, ele morava em Sidney, na Austrália, e quando estava passeando pela Rua George no setor comercial, da entrada de uma loja saiu um senhor de cabelos brancos, baixinho, de aparência estranha, com alguns folhetos nas mãos e o abordou com a seguinte pergunta: “O senhor é salvo? Se morrer hoje à noite, o senhor vai para o céu?”.

O homem ficou perplexo com aquele acontecimento inédito em sua vida, mas recebeu de bom grado o folheto que lhe fora entregue. Tornando-se um membro da Igreja de Cristo, agora em Adelaide, no sul da Austrália, ele encontra uma mulher que dá um testemunho de haver encontrado o tal homenzinho da Rua George, sendo ela também convencida a mudar o rumo de sua vida. Alguns dias depois, o moço volta a Londres, onde estava morando e já com sua vida entregue a Jesus e, indo à sua Igreja ele pede uma oportunidade para dar um testemunho. Não por coincidência, outro membro também fala da história do homenzinho da Rua George, em Sidney. Então, o homem começou a arrazoar em seu coração que algo muito diferente e de dimensões admiráveis, estava acontecendo.

Mais à frente, em uma convenção no Caribe, outro testemunho de igual teor lhe foi dado. Retornando a Londres, na Assembléia Keswick no Lake-District, o moço comenta estes fatos maravilhosos que observara ao longo dos últimos tempos, todos com a mesma origem na Rua George, em Sidney na Austrália, quando se levantaram quatro pastores mais idosos, lembrando que a 25 ou 30 anos atrás também estiveram com aquele homenzinho na Rua George, fazendo-lhes sempre a mesma pergunta: “O senhor é salvo? Se morrer hoje à noite, vai para o céu?”. Algum tempo depois, nosso protagonista retorna a Sidney e procura pelo homenzinho, encontrando-o já bastante exaurido de suas forças, mas que o recebera de muito bom grado, servindo-lhe um chá.

Conversando com ele, e lhe mostrando que aquele folheto que lhe havia sido entregue mudara a sua vida para sempre, o velhinho chorou e lhe disse que nunca havia tomado conhecimento de que alguém houvesse se convertido a Cristo, através do seu trabalho e de suas palavras, e que muitos dos que tiveram contato com ele haviam rejeitado a sua pergunta, nem lhe respondendo ou dando-lhe crédito.

Esta breve história serve para estimular em nossa vida a famosa pergunta: “Para onde vou quando morrer?” e a resposta é muito simples, bastando para tanto observarmos o que nos diz o Criador no Livro de Deuteronômio 30.19: “Hoje invoco os céus e a terra como testemunhas contra vocês, de que coloquei diante de vocês a vida e a morte, a bênção e a maldição. Agora escolham a vida, para que vocês e os seus filhos vivam, e para que vocês amem ao Senhor, o seu Deus, ouçam a Sua voz e se apeguem firmemente a Ele”. Pois o Senhor é a sua vida. Pronto, agora temos condições de escolher, a vida está no Senhor e a morte está no Diabo. A pergunta tem resposta. Para onde você vai quando morrer?

  • Manoel

    Dizem que o bom vendedor consegue vender geladeira para esquimó. Mas, o que é ser um bom vendedor? Pelo que entendo, enganar o semelhante não é ato merecedor de elogios.

    Fazer propaganda religiosa [enganosa] deveria ser proibido em Murall. Isso não é opinar. Os artigos deveriam conter apenas a opinião de seus autores, o que infelizmente não aconteceu com o texto acima.

    O velhinho do texto não é identificado e o autor usa palavras da Bíblia para induzir o leitor a aceitar o falso produto: a ilusão (de uma vida feliz e eterna após a morte).

    Até quando os vendedores de ilusão vão ser tratados como gente de bem?

    • Sérgio Eduardo

      Agradeço de coração pelo comentário, é deste modo que podemos enriquecer o nosso trabalho, não só no Murall como em todos os meios de comunicação sérios, que dão oportunidade à verdade. No caso presente, me abstive de mencionar nomes, como o faço em outros artigos, não porque não espelham a verdade mas por uma questão de característica literária. Quanto às menções bíblicas, são bíblicas simplesmente e na Bíblia está contida a Palavra de Deus, portanto, para verificar a autenticidade de minhas exposições, basta consultá-la para dirimir quaisquer dúvidas. Sempre estou à disposição e de bom grado responderei aos interessados.

  • Bete

    Sérgio,
    fiquei encntada com sua resposta.
    Como seria bom se existissem mais pessoas como vc.
    Alguns não se dão conta que esta vida sim, é uma grande ilusão.
    Um abraço e que Deus o abençoe muito e a todos que lerem eu peço a Deus que tire o véu e ministre no coração de cada um.
    Para aqueles que duvidam… simples: é só falar dirtamente com Deus e pedir para ser tocado por Ele.
    Não tenha medo faça isto e verá!