Os Testes ELISA São Específicos para Detecção do Vírus da AIDS

Testes ELISA

Testes ELISA

Os testes ELISA são muito utilizados para observar a presença de determinados anticorpos sanguíneos dos indivíduos. Existem variadas enfermidades que originam imunoglobinas e os exames ELISA são essenciais para determinar essas condições. Existem reagentes determinados que tem sua ação em tais testes denominados como imunoenzimáticos e são específicos para essa finalidade.

Com o crescimento do vírus HIV se espalhando globalmente, os laboratórios médicos procuraram pesquisar testes que fossem específicos para determinar a presença do vírus da AIDS. Entre os testes produzidos o teste ELISA apresentou-se como o melhor para observar a presença dos antígenos do HIV, determinando a presença ou ter sido infeccionado pelo vírus. Esse exame é importante em medicina pela brevidade e especificidade com que vem a ocorrer, fazendo dessa forma com que o paciente fique próximo ao tratamento específico e seja capaz começá-lo com bastante rapidez, após ser determinada existir tal vírus. Exames antigos levavam mais do que um prazo de 5 semanas para se mostrarem prontos e detectarem a presença do vírus, assim, o paciente precisava aguardar por esse determinado tempo e mais algum tempo para se fazer novamente o teste para fazer a confirmação do resultado.

Na hora em que um procedimento desse determinado tipo é feito, caso seja constatada a presença do vírus, é importante que outros exames aconteçam. São exames de confirmação da presença real do vírus HIV e igualmente testes essenciais para se observar o número de vírus presente no sistema da pessoa. Tudo isso vai indicar o início do desenvolvimento do tratamento, a quantidade de remédios a serem indicados e o estado geral de saúde dessa pessoa. Na hora em que o paciente é constatado como soropositivo, outros testes laboratoriais têm a necessidade de ser desenvolvidos. É necessário que o doutor tenha uma noção exata em relação a como está o estado de saúde em geral da pessoa, porque se existirem outras condições adversas tudo possa ser cuidado em conjunto. Além disso, é importante saber de que forma se apresenta o fluxo de sangue do indivíduo e de que forma essa carga de vírus influenciará no processo de cura.

Falando-se especialmente do HIV é necessário fazer o exame novamente caso haja alguma conjectura grande de contaminação ou se o paciente pertence ao grupo de risco de contrair o HIV. Isso ocorre pelo fato de que existe um aspecto que os profissionais denominam de janela de contaminação, que aparece como certo tempo em que o indivíduo já apresenta o vírus da AIDS, mas ele ainda não é demonstrado pelo teste ELISA, daí a necessidade de fazer novamente depois de algum tempo específico esse exame.

Para mais informações, visite: Wako. Visite também: reagentes para laboratório.