Organizando o galpão e escolhendo os paletes

Que faz uso de galpões para guardar o estoque dos produtos que produz – ou que compra para revender – sabe como é importante que tudo fique organizado. Especialmente quando há mais de um tipo de produto, com cores, dimensões e outras especificações, a organização é crucial para que se encontre o item correto rapidamente e seu despacho seja feito para lojistas e consumidores finais no menor prazo possível.

Essa organização também afeta diretamente a segurança dos funcionários que trabalham naquele ambiente. Em galpões no qual se estocam grandes quantidades de produtos normalmente existe o tráfego de pequenos tratores e guindastes especiais, cuja função é transportar paletes carregados para um lado e para outro com agilidade e eficiência – e esse tráfego é impossível sem que o ambiente esteja organizado.

Com tudo no lugar

Os-paletes-são-essenciais-na-empilhagem-do-estoque.Existem diferentes galpões: alguns diferem em suas dimensões laterais, outros em sua altura e outros diferem devido ao tipo de produto que ficará armazenado. O que mais vemos na televisão (especialmente em propagandas de grandes varejistas) são galpões com pé direito bastante alto e com muitas e muitas prateleiras por todos os lados, com capacidade inclusive para armazenar produtos grandes como geladeiras e máquinas de lavar. Essa foi uma solução muito interessante encontrada para poupar área construída. É mais econômico construir um galpão alto do que um mais largo e mais extenso – sem contar que os tratores e guindastes levam menos tempo para percorrer um galpão com dimensões planas reduzidas. Em cada prateleira são colocados os paletes com um certo número de produtos ( o número varia de acordo com as dimensões e o peso de cada produto). A empilhadeira consegue alcançar as prateleiras mais baixas sem problemas – já as mais altas são alcançadas por guindastes especiais instalados em um sistema de trilhos que percorre todo o galpão.

Tanto as empilhadeiras quanto o guindaste precisam de pessoal especializado para serem operadas. Por isso, é importante que se contrate alguém, com experiência no manejo destas ferramentas – ou que se forneça o treinamento adequado para o funcionário, a fim de evitar atrasos, transtornos e o pior: acidentes. Afinal, quando se trabalha com cargas móveis e pesadas, um descuido mínimo pode provocar um acidente de proporções catastróficas. E quem é que vai querer arcar com uma responsabilidade feito essa, não é?

E por falar em paletes…

… qual é o melhor? Existem paletes de madeira (os mais comuns) e também os de plástico (mais recentes no mercado). Além isso, ainda existem medidas diferentes para eles. “Como saber qual escolher, qual é o melhor para usar em meus galpões?”

A diferença é mais visual e prática do que técnica. Se considerarmos um palete de madeira e um outro de plástico com as mesmas dimensões, eles terão uma capacidade de carga praticamente igual. A maior diferença é mesmo na parte estética e de manutenção.

Um palete de madeira normalmente não recebe acabamento (por exemplo, uma demão de verniz). E por ser de madeira, tem superfície porosa, o que o torna mais sujeito à absorção de umidade e, como consequência, podem aparecer manchas de fungos. A rigor isso não o torna frágil – a menos que não seja feito nenhum tratamento que impeça o fungo de progredir; aí sim a peça pode enfraquecer mais rápido que as demais. Porém, a grande vantagem do palete de madeira é que, ao fim de todo seu tempo de uso e duração (inclusive com as reciclagens e consertos), ele pode ser fragmentado e descartado em aterros, já que a madeira é biodegradável.

Paletes-de-plástico-podem-ser-melhores-explorados.Já o palete de plástico não apresenta esse problema. Por ser impermeável, não corre o risco de absorver umidade e desenvolver fungos. Se for manuseado da maneira correta, seu tempo de uso ultrapassa o dos paletes de madeira. Além do mais, pode ser pintados da cor que o cliente desejar, sendo possível “personalizá-los” de acordo com as cores oficiais da empresa. O maior problema é mesmo o descarte após danos severos causados pelo uso ou por acidentes. Como ele não é biodegradável, não pode ser fragmentado e descartado em aterros. Porém, pode ser reciclado, o que não deixa de ser uma boa saída.

Quanto às dimensões, os paletes podem ser fabricados com as medidas que o cliente desejar, tanto os de madeira quanto os de plástico. Porém, existem algumas medidas padrão que a maioria das indústrias e dos comércios atacadistas e varejistas estão adotando, para evitar problemas na organização dos galpões quando se recebem produtos com paletes de outras empresas. No Brasil, o padrão é o palete PBR; na Europa, o padrão é o palete Euro. Estes padrões dizem respeito apenas às dimensões, não ao material.