O Vício em Rivotril – A Segunda Droga Mais Consumida no País

Os tempos modernos trouxeram preocupações muito forte aos brasileiros. Mesmo para aqueles que desfrutam de boa condição social e financeira. O estresse é demais e a solução tem sido apelar para drogas licitas que “resolvem” o problema, mas isso não é todo verdade.

Assim sendo, o Rivotril, que em 2007 vendia apenas 29 mil caixas, em 2015 vendeu mais de 18 milhões de caixas do produto que contém clonazepam, o princípio ativo do Rivotril, colocando-o como a 2ª droga mais consumida no Brasil. O anticoncepcional é a droga mais vendida no Brasil ficando à frente do Rivotril, por enquanto, ao menos. Tal situação tem feito com que mais e mais pessoas procurem clínicas de recuperação em todo o Brasil devido a dependência ao Rivotril.

Rivotril

Estes números foram divulgados pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), que explicou que o uso contínuo do medicamento pode causar dependência, lentidão de raciocínio e perda de memória. O psiquiatra, Felipe de Oliveira Lima, fez um alerta na Agência Brasil:

“Além da dependência, ele traz outros problemas como se fosse a perpetuação do quadro de ansiedade. A hora que se tira a medicação ele volta muito mais ativo, trazendo picos de ansiedade maiores muitas vezes de quando o paciente começou a tomar”, explicou Lima.

O que é o Rivotril?

É o nome comercial do clonazepan, substância que pertence à classe farmacológica das benzodiazepinas e atua como um leve inibidor das funções do sistema nervoso central. Tem aplicações como anticonvulsivante mas também é usado para promover sedação leve e relaxamento muscular, diminuir a tensão e a ansiedade. O Rivotril é vendido como ansiolítico e geralmente prescrito à pacientes com Síndrome do Pânico, Ansiedade, Distúrbio bipolar, Agorafobia e Depressão.

A frente dos analgésicos

O sucesso espetacular, e preocupante, especificamente do Rivotril, é retratado no fato de que os tranquilizantes não estão no topo da preferência dos brasileiros, sendo que a classe desses medicamentos é somente a 7ª mais vendida por aqui, ficando atrás de anticoncepcionais, analgésicos, antirreumáticos e outros tipos de remédio.

A preferência dos brasileiros é pelo Rivotril. Um fenômeno único que ocorre somente no nosso país. Em outros países os tranquilizantes fazem sucesso, sim, mas só por aqui é que o ativo Rivotril é o preferido léguas à frente dos demais.

Individualmente, o Rivotril supera os antirreumáticos e os analgésicos, ou seja, a tolerância à dor é maior do que a tolerância ao estresse e à ansiedade. Mas isso é uma meia verdade e a explicação é mais complexa.

Por mais problemática que seja, o Sistema Único de Saúde, SUS, possui um atendimento relativamente eficiente quando se trata do primeiro atendimento básico e em casos de dor física, principalmente com o programa “Mais Médicos”.

Mas quando se trata de outros procedimentos mais complexos, como cuidados com a saúde mental da população, por exemplo, que exige profissionais qualificados como psicólogos e psiquiatras, o SUS é uma negação.

Lembrem-se de que Organização Mundial de Saúde, OMS, recentemente revelou que 40% da população da região metropolitana de São Paulo possui algum tipo detranstorno mental. Só este dado deve explicar bastante o crescimento do uso de Rivotril.

Tarja preta

O Rivotril é um remédio tarja preta, ou seja, só pode ser vendido com prescrição médica. Porém, tais índices de vendagem indicam que o remédio tem sido comercializado sem a devida prescrição ou com receitas forjadas.

Uma caixa de Rivotril custa, em média, 13 reais, e seu produto genérico, até oito reais.