O Que São Mortos-Vivos?

Quando se falam em mortos visos, a primeira imagem que aparecem na cabeça nas pessoas são os antigos filmes de terror com zumbis, como sendo uma característica muito específica dos zumbis o fato de estarem mortos e vivos ao mesmo tempo. Essa linha, porém está errada, pois o termo “morto vivo”  tem um significado muito mais amplo, sendo caracterizável a diversos personagens fictícios e folclóricos.

A origem do termo “morto vivo” é bastante antiga: surge pela primeira vez em 1897 com a publicação do romance Drácula, de Bram Stocker. No livro, o vampiro Drácula é caracterizado como um morto vivo, sendo um ser morto mas que amaldiçoado, anda entre os vivos. O termo, do original “undead”, ou “não-morto” pode-se então ser interpretado como uma designação bastante ampla de criatura mortas, mas que não descansam em paz. Outras formas de mortos vivos recorrentes no cinema são fantasmas, esqueletos, múmias, Espectros, aparições, entre outros.

Essa designação de Mortos vivos, é claro, se aplica também aos zumbis, mortos que levantam de suas tumbas para comer carne humana. O mito midiático dos zumbis é baseado nos Zombies, mito haitiano de bruxaria que acreditava que através do Vudu seria possível ressuscitar os mortos para servirem de escravos, muito embora eles não mantivessem sua consciência. O mito de Drácula e dos vampiros, por sua vez, vem da mitologia Romena, dos seres chamados de Strigoi, seres amaldiçoados que sugavam sangue dos humanos.

O cinema de horror encontrou um prato cheio, principalmente entre as décadas de 30 e 70 para sues filmes, usando toda sorte de criaturas amaldiçoadas que voltavam da morte para matar e atormentar. Recentemente essa onda ganhou um novo impulso, com a releitura que o mercado de games, com o lançamento de jogos de mortos vivos, como Dead Space, Resident Evil, e outros, que encontraram na temática a oportunidade perfeita para criar jogos de sucesso, muitas destas franquias sendo líderes em seus respectivos gêneros.