O Lixo Espacial

Lixo Espacial - problemas e consequências

Lixo Espacial - problemas e consequências

Fico imaginando quando o homem, pela primeira vez, pode contemplar a magnífica beleza de nosso planeta através de uma pequena escotilha de um foguete espacial. O fascínio que lhe deve ter brotado do peito, a admiração e o êxtase que ele sentiu, somente ele poderia descrever, se tivesse palavras suficientes. Digo isto, porque realmente é uma visão tremenda e maravilhosa, quando nossos olhos terrenos podem vislumbrar a grandeza do poder de Deus, manifesta através das coisas criadas. Certa noite, muito limpa e estrelada, munido de uma luneta de razoável capacidade, fiquei observando por um longo tempo o nosso satélite natural, a lua. Magnífica na sua beleza! Meio azulada pelo reflexo da luz do sol, dela emanava um sentimento de profunda paz, e de espanto ao mesmo tempo.

Daquele tempo para cá, muita coisa mudou, para pior. Muitas viagens espaciais foram empreendidas por vários países, alguns enviando homens e mulheres, outros apenas foguetes não tripulados, além de sondas de exploração espacial que foram disparadas em várias direções. Muitas não voltaram a dar sinal de vida. Em apenas quarenta anos, nós conseguimos transformar as lindas noites de luar em um manancial inesgotável de lixo. Sim, lixo de todo tipo e que, simplesmente, não pode ser jogado fora em uma lata de lixo.

A situação vem se complicando de tal forma, que as inteligências bélicas deste planeta já se preocupam em como fazer para enviar novas expedições, sem correrem o sério risco de se chocarem com algum detrito no espaço. A NASA está diminuindo suas operações, tentando se concentrar em um escudo antimíssil para deter o controle militar do espaço, em suas mãos. O Pentágono estuda uma forma de destruir alguns equipamentos obsoletos que estão espalhados por toda a nossa órbita. Mas, os efeitos de tal procedimento podem ser de graves conseqüências. Os satélites, até então lançados, e que são responsáveis pela monitoração espacial e terrena, então se tornariam em alvos fáceis de grandes porcas e pedaços de metal retorcido, que normalmente hoje já viajam a uma velocidade maior do que a de um projétil de um canhão. Não há como programar a rota e a velocidade de detritos sem controle.

O resultado de tudo isto pode culminar na interrupção drástica da vigilância espacial, da perda dos sinais de radares, na cessação dos serviços do Google, na interrupção dos vôos e dos sinais dos telefones celulares, no impedimento dos serviços de socorro médico emergencial, os quais são acionados pelos sinais de satélites, nos serviços de localização via GPS, além de causar uma série crise econômica mundial de enormes proporções, devido à queda vertiginosa das bolsas de valores em todo o mundo. Seria um verdadeiro e catastrófico caos. Muitas coisas estão acontecendo sobre as nossas cabeças, das quais não tomamos conhecimento e sequer podemos imaginar as suas dimensões e conseqüências. Todavia, não podemos ficar na posição de maridos traídos, precisamos sair do ostracismo e buscar informações em todos os sentidos, nossa sobrevivência está dependendo disto. Afinal, para onde estamos progredindo?