O Jiu-Jitsu no Brasil

De acordo com historiadores, o Jiu-Jitsu surgiu na Índia, onde era praticado por monges budistas que não tinham grande força física e abominavam o uso de armas. Eles desenvolveram uma técnica baseada no equilíbrio, no uso das articulações do corpo e no sistema de alavancas. A arte marcial se espalhou no mesmo ritmo que o Budismo se propagava no sudeste asiático, chegando ao Japão, onde cresceu e popularizou-se. Foi usada por samurais para melhorar as técnicas de combate corpo a corpo e o equilíbrio mental, com as frases de motivação propagadas pelos budistas.

Após o fim do Japão feudal e a extinção dos samurais, a arte marcial sobreviveu como esporte tornando-se cada vez mais popular. Com o avanço da II Guerra Mundial, muitos japoneses migraram para outras partes do mundo e muitos mestres de Jiu-Jitsu passaram a sobreviver de competições e do ensino da arte marcial. Foi no fim do século XX que um mestre chamado Maeda Koma chegou ao Brasil, passando a residir em Belém do Pará, onde conheceu e tornou-se amigo de Gastão Gracie e seus oito filhos. Gastão criou um grande entusiasmo pelo Jiu-Jitsu e incentivou o filho mais velho, Carlos Gracie, a aprender com o amigo.

Apesar do corpo franzino, Carlos encontrou nos ensinamentos do Jiu-Jitsu uma realização pessoal. Aos 19 anos, mudou-se para o Rio de Janeiro com a família, e em 1925 abriu a primeira academia Gracie de Jiu-Jitsu, ensinando a arte aos seus irmãos mais novos, adequando e aperfeiçoando as técnicas. A equipe passou a desafiar grandes lutadores da época, tornando-se famosa por todo o mundo. Com o novo mercado que se abriu em torno do Jiu-Jitsu, muitos mestres japoneses migraram para o Brasil a fim de estabelecer sua arte, entretanto não conseguiam competir com a equipe Gracie, pois a antiga arte japonesa frisava as quedas em vez da disputa corpo a corpo, aperfeiçoada pelos brasileiros.

Por mudar as regras internacionais do Jiu-jitsu japonês nas lutas que os irmãos Gracie realizavam, a equipe iniciou o primeiro caso de mudança de nacionalidade esportiva: a arte marcial passou a ser denominada de Jiu-Jitsu Brasileiro, e tornou-se conhecida em todo o mundo por seus ensinamentos e pela mensagem de otimismo que motiva mesmo as pessoas mais fracas a venceram oponentes maiores.