O de sempre com o de hoje

O mundo tem avançado a passos largos – às vezes são tão largos que ficamos assustados. Quando o computador foi inventado, ele não passava de um caixote gigante – do tamanho de um armário – cheio de válvulas e transistores em seu interior. Ah, e sem monitores. De um equipamento anexo, saíam cartões perfurados com as informações que queríamos “guardar” informatizados. “Cartões perfurados?”.  Sim. Eram folhas de papel-cartão que eram perfuradas pelo computador naquela época – e essas folhas podiam ser “lidas” por outros computadores do mesmo tipo. Pensou em disquetes? Sim, elas eram praticamente o equivalente ao antigo disquete – atualmente substituído pelos CDs, DVDs e pendrives. “Mas como assim ‘ler cartões perfurados’?”. Imagine que as informações eram gravadas em um sistema parecido com o Braille. Eram outros tempos…

De todo jeito, com o tempo os enormes computadores foram sendo aperfeiçoados. Ficaram cada vez menores e mais potentes. Criaram o monitor, por onde agora podia-se ver as linhas de códigos dos programas que rodavam nele. Logo mais, criaram o mouse e as impressoras matriciais. E não demorou muito para chegarmos aos PCS (personal computers) de hoje em dia: um gabinete relativamente leve com discos de grande capacidade de armazenamento de dados, monitores com imagens de alta resolução, mouses precisos, impressoras a jato de tinta e laser… e a indispensável internet. Quando a tecnologia alcançou esse ponto, nos anos 1990 e 2000, a tecnologia deu um salto monstruoso. A distribuição de informações e as comunicações, principalmente, avançaram a passos gigantescos, através da popularização da internet e do uso massivo dos e-mails tanto na vida pessoal quanto na empresarial. Com a criação de mecanismos de busca (Altavista, C@dê, Yahooo e o atual Google), hoje em dia pode-se achar qualquer coisa na internet, desde informações técnicas sobre motor de avião a pesquisas de preços de medicamentos. Canais de distribuição de vídeos contém vídeo-aulas bastante utilizadas pelos estudantes, além de programas humorísticos, séries etc..

É muita novidade…

O domínio da internet está em todas as áreas e lugares.Hoje em dia, há uma máxima que diz: “se não está na internet, então não existe”. Parece uma maldade dizer isso pois muitos comércios menores, especialmente os das pequenas cidades, não têm interesse em manter uma página na internet. Por exemplo, quase não faz sentido que um posto e gasolina de uma cidade com menos de 50 mil habitantes tenha uma página na internet, porque o que eles comercializam já é bem sabido pela população. Já o posto de uma grande cidade pode criar uma a fim de informar sobre promoções, cartões-fidelidade e sorteios de vale-abastecimento, por exemplo.

Mas se não existe necessidade de se criar uma página para o estabelecimento, convém ao menos divulgar o nome do local, o endereço e o telefone de contato. Vários serviços de lista telefônica são conectados a bancos de dados das operadoras de telefonia; assim, ao pesquisar o nome de um estabelecimento pequeno de uma cidade também pequena, pode ser que seu nome apareça lá, com estas informações. Mas, de acordo com especialistas, se nem assim o nome do estabelecimento apareceu nos resultados de busca, convém ao menos criar uma página no Facebook para ele; a existência da página normalmente é listada por esses mecanismos. Pronto. Mesmo que seja de uma forma um pouco “torta”, o nome da empresa constará na lista de resultados de quem buscar pelo nome dele.

A internet permite mais do que pesquisa de preços de medicamentos, disponibilização de currículos ou a presença virtual de lojas. Através dessa poderosa tecnologia de comunicação, já é possível até mesmo operar pacientes à distância. O paciente é preparado em um hospital por uma equipe de médicos e enfermeiros em uma cidade enquanto o especialista se prepara em outra cidade – ou mesmo país. Não é necessário que ele esteja em ambiente hospitalar, mas será necessário que esteja em local aparelhado para essa função: são controles semelhantes a controles de videogames antigos, através do qual ele poderá controlar os braços mecânicos que estarão no hospital onde o paciente está. Estes braços portarão os instrumentos necessários à cirurgia (pinças, bisturis, etc.). E assim, remotamente, ele conduz a cirurgia do início ao fim, sendo apenas assistido pela equipe que está junto ao paciente. Incrível, não é? Ainda está em testes, mas com grandes possibilidades de virar procedimento de rotina.

Comércio beneficiado

Com os avanços da internet ficou muito mais prático encontrar qualquer utilidade sem sair de casa, inclusive comparar os preços de medicamentos.Além dos evidentes avanços na medicina, a internet e os computadores modernos trouxeram visibilidade ao comércio de maneira geral. Além de informarem a localização física dos mesmos (hoje em dia até com mapas instantâneos), possibilitaram também a criação de lojas exclusivamente virtuais. Isso, para o consumidor, significa um grande avanço na tomada de preços pois lojas virtuais, por não terem despesas com locação de espaço nem contratação de muitos funcionários, vitrines, etc., podem reduzir seus preços e tornarem-se mais competitivas com o mercado.

Esta facilidade na localização de lojas físicas também contribui, sobremaneira, com o turismo. Viajantes recém-chegados à cidade podem pesquisar pelos estabelecimentos que procuram e encontrá-los mais facilmente do que há algumas décadas atrás. Bastará procurar a rua indicada no mapa da cidade (gerado pelo GoogleMaps, por exemplo) e pronto. Ainda, podem usar um simples aparelho de GPS que indicará a direção em tempo real. E o melhor: esse tipo de serviço existe também para celulares.

A tecnologia realmente tem facilitado tanto nossas vidas que mal conseguimos imaginar como deveria ser a vida antes dela! Você consegue?