Nossa, que gosto de cloro!

Há um vídeo na internet onde o apresentador Pedro Bial repete o tempo todo o mesmo conselho: “use filtro solar”. Mas se tem um conselho que pode vir antes deste é o seguinte: “beba água”. Todas as formas de vida no nosso planeta dependem da água, em algum grau, pra sobreviver e todo o nosso organismo funciona à base de água, também. As células são compostas, em mais de 70%, por água e todos os processos químicos dentro delas acontecem por causa do ambiente aquoso dentro delas e das estruturas sólidas que ficam boiando por ali. O sangue é quase todo água e carrega nutrientes e gases por todo nosso corpo, nosso suor é feito principalmente por água, os dejetos que eliminamos também têm grande quantidade de água. Através da respiração perdemos uma grande quantidade de umidade também. Por isso é que esse conselho é importante: beba água. Quando? Toda hora! Pode ser água, ou suco, ou chá, além de se aproveitar da água contida nas frutas e demais alimentos. Mas não deixe de beber água.

A falta de água no organismo pode trazer problemas bastante severos, aos quais só damos importância quando sofremos algum deles. O mais imediato é a desidratação, que é potencialmente perigoso. Nessa situação, o sangue pode ficar mais espesso e encontrar dificuldade para passar pelos vasos sanguíneos mais estreitos e a distribuição de nutrientes fica prejudicada, além das trocas gasosas ficarem mais difíceis também. A pressão acaba caindo e uma grande fraqueza impede o indivíduo de coisas simples como sair da cama. Pode-se iniciar a formação de cálculos renais – e que já teve sabe como dói – e esse pode ser um problema de longa duração (e difícil de suportar e tratar). Aquele papo de beber ao menos dois litros de água por dia não é brincadeira! Realmente perdemos uma grande quantidade de água ao longo do dia, principalmente pela excreção, transpiração e respiração, especialmente nos dias mais quentes. Mas numa coisa todos concordam: quando estamos em um lugar onde a água tem um gosto estranho, fica difícil bater essa meta!

Que gosto estranho…

É-comum-que-em-algumas-cidades-a-água-chegue-com-o-nível-de-clorificação-mais-lato.Em algumas cidades, a água recebe uma carga maior de cloro nas estações de tratamento. Isso pode acontecer devido às condições da água no reservatório de captação, que pode estar com o nível de microorganismos aumentado devido a algum fator humano ou ambiental. As estações de tratamento precisam garantir que a água está limpa o suficiente para o consumo humano, por isso regulam os elementos de tratamento para que a água resultante esteja adequada. O problema é que, realmente, o gosto se modifica. A água não deve ter gosto algum, nem odor e quando qualquer uma dessas condições se altera, o estranhamento é imediato e a rejeição vem logo a seguir. “Afinal, se agora ela está com gosto ou cheiro, então deve ter alguma coisa errada com ela”, pensamos. É um mecanismo de defesa do nosso corpo: quando percebe uma mudança importante em algo que não devia se alterar, provavelmente tem coisa errada aí.

Para nossa sorte, já sabemos que um súbito gostinho de cloro na água é possível devido ao aumento da colocação desse elemento lá nas estações de tratamento. O problema é que esse cloro a mais modifica tanto o sabor da água que tomá-las nas quantidades usuais fica um pouco desagradável. Inclusive, chás e sucos preparados com ela também acabam “herdando” o gostinho chato. Perde-se muito do prazer em beber aquela água fresquinha nessa situação. Mas então, o que fazer?

Filtrar!

O-carvão-ativado-fará-toda-diferença-para-a-filtragem-da-água.Este é o melhor caminho possível: filtrar a água antes de bebê-la ou usá-la no preparo de alimentos. Mas não deve ser qualquer filtro. O ideal, e que vai retirar o gosto e o cheiro do cloro, é o filtro de carvão ativado. Esse carvão é tratado química ou fisicamente para remover exatamente os gases que ficam presos à água, eliminando-os dela por completo. Os gases ficam presos nos microporos do carvão e não saem mais.

“Mas não vai sujar a água?” Que nada! Às vezes, no primeiro volume de água que passa por um filtro desses, notamos partículas de carvão saindo, mas logo para. E quando para, a água que passa a sair por ali é a mais pura, livre de qualquer partícula e qualquer cheirinho de cloro. A mesma água! É quase mágica.

Esses filtros de carvão ativado são facilmente encontrados naquelas torneiras de pia que vêm com um filtro acoplado nelas, ou nos purificadores de ar elétricos que já vemos em várias casas. Além do filtro convencional, há uma câmara acoplada neles com o carvão ativado em seu interior, onde a água costuma passar por último antes de sair pela torneira.

Viu? Ficou fácil beber bastante água, de novo – sem gosto de cloro! ;)