Motors and World News

Olá! Hoje a entrevista é a Álvaro Parente, o piloto português, que disputará com a Ocean Racing

Technology a temporada de 2009 das GP2 Series e que está a competir nas GP2 Asia Series com a equipa MyTeam Qi-Meritus Mahara. Também já fez um teste num F1 da Renault, impressionando o pessoal da equipa francesa.

Álvaro Parente

Álvaro Parente

Álvaro Parente já competiu em campeonatos como a F3 Espanhola (2001, 12º; 2002, 4º), com 1 vitória e 1 pole, a F3 Europeia (2003, 25º), a F3 Italiana (2003, 9º), com 1 vitória e 1 pole, a F3 Britânica (2003, 2º; 2004, 7º; 2005, 1º), com 12 vitórias e 11 poles, o A1GP (2005-06, 9º; 2006-07, 17º, só com 6 corridas na última temporada), as World Series by Renault (2006, 5º; 2007, 1º), com 5vitórias e 2 poles, as GP2 (2008, 8º; 2009, ?). Este piloto também correu nas GP2 Asia Series em 2009, obtendo na corrida Sprint o seu melhor resultado no campeonato (9º lugar, com a volta mais rápida), e obtendo o 31º lugar final. Em 2009 competiu nas GP2 Series com a Ocean Racing Technology, tendo uma vitória e o 8º lugar final.

Em 2010, Álvaro Parente competiu principalmente na Superleague Fórmula, a conduzir o carro do FC Porto, obtendo 3 vitórias, 4 pódios, 3 voltas mais rápidas e 1 pole position. Também neste ano, Parente competiu em 2 rondas da GP2 com a Coloni, com dois pódios em quatro corridas; e no Campeonato de Espanha de GT’s, não sendo campeão apenas pelo facto de ter falhado uma ronda.

Segue-se a entrevista:

Motors and World News (MWN): Para começar, qual o seu balanço da época da Superleague Fórmula?

Álvaro Parente (AP): Foi um campeonato muito estranho com altos e baixos. Tem um grau de profissionalismo muito diferente do que estava habituado na GP2 e houve muitas falhas inadmissíveis ao longo do ano quer em algumas decisões da equipa quer em fiabilidade do próprio carro. Acabei por ficar fora da super final em 5 corridas por questões alheias.

MWN: Também falando em balanços, qual o balanço da época do Campeonato de Espanha de GT?

AP: Este campeonato foi totalmente diferente. Foi totalmente dominado pela ART e eu fiz sempre pole-position e vitória sempre que não havia handicap gigantescos como era habitual. Não pude participar numa prova e por isso não fui campeão. Acabou por originar o convite para LeMans series com a Af Course que foi excelente.

3 – Na Superleague Fórmula houveram vários erros de equipa nítidos. Como geriu os vários erros de equipa, afectaram o seu relacionamento com a equipa?

AP: Sou um profissional e como tal, sempre que estou dentro do carro faço o meu melhor. Tentei corrigir algumas situações ao longo da época mas o grau de exigência não é o mesmo que outros campeonatos. Foi nítido que as equipas mais exigentes tiveram muito menos problemas mecânicos e consistência de resultados.

MWN: Está arrependido de ter faltado a uma jornada dos GT Espanhóis e falhar o título, para ir à Superleague?

AP: Não, não estou. O meu foco era a Superleague e GP2 quando tive oportunidade. Os GT foi sempre numa base de ajudar uma equipa e complementar de forma a me preencher o ano da melhor forma possível.

MWN: Para 2011 já há planos ou contactos? Está a falar-se de uma possível ligação à Lotus Racing, para piloto de testes de F1 e piloto de GP2 na Team Air Asia. Pode adiantar pormenores ao blog e revista Motors and World News?

AP: Contactos há sempre ao longo do ano. Há sempre propostas mas quem analisa isso é a minha agencia, Polaris Sports.

MWN: Continuando a falar de Fórmula 1, mas agora sobre outros pilotos: em quem aposta para o título deste ano?

AP: Alonso, apesar de os Red bull estarem muito fortes. Vi o Alonso a trabalhar e só confirmou a opinião que já tinha dele.

MWN: Voltando a si para terminar: Para si, qual (quais) o/s momento/s mais marcante/s da sua época de 2010?

AP: Regresso à GP2 com o 2º lugar num Coloni. Acho que mostrei que tenho talento suficiente para estar na F1.

MWN: Para concluir, quer deixar uma mensagem aos seus fãs?

AP: Agradecer a todos o apoio que me dão. Por vezes não dou o feedback necessário porque estou sempre a viajar mas gostaria que soubessem que são uma grande força para nós pilotos.