Motoboy – Contratar ou Terceirizar ?

A eterna dúvida para quem precisa ter o serviço de motoboy com frequência é saber qual a melhor forma de contratação. Chamar os profissionais de empresas que terceirizam o serviço ou ter um funcionário próprio sempre à disposição ?

O setor de logística da empresa pode realizar um estudo que determinará a necessidade efetiva dos serviços desse profissional, determinando qual seria a melhor forma para contratar. Existem prós e contras nos dois tipos de aquisição, e é preciso conhece-los a fundo antes de assinar um contrato de terceirização ou a carteira profissional de alguém.

Essa dúvida é muito comum nas empresas por conta da imagem distorcida que a sociedade tem desse profissional. Geralmente um rapaz mal vestido, que fala por monossílabos e anda costurando com a moto pelo trânsito caótico da cidade, sem respeitar os outros motoristas. Essa imagem não ajuda muito na hora de pensar que o serviço dessa pessoa possa ser essencial para o negócio.

Essa imagem é completamente errada e, apesar de existirem alguns profissionais que comportam-se dessa forma, a maioria é completamente diferente. Eles precisam fazer cursos de atualização no DETRAN e também ter noções de segurança e direção defensiva que as polícias militares dos estados ministram.

moto-estaciona-na-23-de-maioEmpresas que terceirizam esses profissionais e levam esse trabalho realmente a sério, devem ter o cuidado de deixarem esses cursos sempre atualizados, oferecendo reciclagem aos funcionários. Atualmente o motoboy ou motofretista como é o nome real da profissão, pode ser o único contato que a empresa tem com os clientes, então ele precisa estar bem apresentável e ser muito educado e cordial, e as empresas intermediadoras sabem disso e procuram ter sempre profissionais que atendam completamente essas necessidades.

Contrato ou terceirização ?

Contrato

Ter um motoboy contratado por regime CLT fará com que a empresa tenha custos com o salário e os encargos trabalhistas, aquisição de veículo próprio, pagamento de taxas para o Sindicato específico, custos de manutenção da moto, combustível (que deverá se pago diariamente), garantia de seguro de vida em valor estipulado pelo sindicato pertinente, ter um profissional reserva para cobrir o período de férias e aquisição de EPI´s – Equipamentos de proteção individual, adequados. Dependendo do tamanho da empresa e a necessidade do serviço, pode ser uma boa opção ter um profissional disponível a qualquer momento. Se a utilização do serviço for eventual, talvez seja demais ter um funcionário o tempo todo. Sem considerar os momentos que ele poderá ficar ocioso por baixa demanda.

Terceirização

É a transferência do custo e do trabalho da contratação em CLT. Você assina um contrato com uma empresa que fornecerá o profissional que fará o serviço, sem ter que se preocupar com aquisição e manutenção da moto, abastecimento, encargos trabalhistas, reposição de funcionário e outras demandas. Com o serviço terceirizado sua empresa pode se concentrar em aumentar as vendas e os lucros, focando em atividades mais importantes para conseguir isso. É bom deixar claro que existem algumas leis que fazem com que a empresa contratante tenha que arcar com os encargos do funcionário, caso a empresa que terceiriza não o faça. Tenha certeza que a empresa em questão faça o pagamento dos encargos trabalhistas do profissional corretamente.