Moralismo Social – “Homens Podem Tudo”

Manifestações preconceituosas, moralistas e machistas representam a materialização de uma sociedade fortemente marcada pelo moralismo, machismo e patriarcalismo. Estes reflexos ainda persistem no cenário contemporâneo brasileiro, já que são oriundos de significativas passagens históricas ocorridas no país e que são comumente retratadas em tramas de filmes, novelas e minisséries, dentre as quais, a minissérie Gabriela.

Os capítulos da minissérie apresentam evidentes demonstrações de práticas machistas dos homens para com suas companheiras. Os homens assumem posições de prestígio  em carreiras políticas, assumem tarefas trabalhistas, desfrutam do status de coronel, são contemplados pela posse de grandes propriedades de terras, praticam sucessivas infidelidades contra suas companheiras sem estarem sujeitos a qualquer tipo de coerção, punição ou sanção.

Enquanto as mulheres, despossuídas de privilégios concedidos pela sociedade devem estar sempre sujeitas à posição de “boa dama”, esposa fiel, distante dos ditos atos vulgares ou promíscuos, devendo sujeitar a atenção ao trato com os afazeres domésticos, filhos e maridos.

O machismo pode resultar em drásticos acontecimentos que, inúmeras vezes partem da concepção masculina de que a mulher deve ser concebida como propriedade, sendo portando impossibilitada de estabelecer envolvimento conjugal com uma outra pessoal, impossibilitada até mesmo, de se envolver em situações capazes de provocar sentimentos de ciúmes no companheiro.  O resultado do sentimento de posse pode ser traduzido em ocorrências de violência doméstica, esta por sua vez, pode contemplar as categorias, agressão física, verbal, moral, sexual, social e econômica. Conforme a natureza da prática de violência, a mulher pode vir a óbito.

Embora a população feminina tenha avançado de forma significativa no campo dos direitos sociais, econômicos, políticos e culturais, e inclusive nas ações de proteção por meio da promulgação da Lei Maria da Penha, é inerente frisar que em termos de políticas públicas afirmativas, ainda é necessário haver muitas mobilizações por parte dos conselhos gestores de políticas públicas, buscando a elaboração do planejamento e execução dessas políticas.