Memória – 10 Dicas de Harvard para Melhorá-la

Melhorar a memória

Melhorar a memória

Seguem abaixo dez dicas para melhorar sua memória, comprovadas por pesquisas da Escola de Medicina de Harvard:

Algumas alterações normais no cérebro, relacionadas à idade, podem retardar alguns processos cognitivos, tornando um pouco mais difícil aprender novas coisas com rapidez ou evitar distúrbios. A boa notícia é que, graças a décadas de pesquisa, a maioria das pessoas pode afiar suas mentes através de comprovadas estratégias do tipo faça-você-mesmo. Aqui estão algumas formas de incrementar suas habilidades de memorizar à medida que você envelhece.

1. Acredite em si mesmo(a)

Mitos sobre o envelhecimento podem contribuir para o enfraquecimento da memória. Estudantes de meia idade ou mais velhos apresentam um desempenho de memória pior quando expostos a estereótipos negativos com relação ao envelhecimento e à memória e, por outro lado, um bom desempenho se expostos a mensagens sobre preservação da memória na idade avançada.

2. Economize no uso de seu cérebro

Tire proveito do uso de calendários e agendas, mapas, listas de compras, pastas de arquivo e  listas de endereços para manter acessíveis as informações rotineiras. Determine um lugar em casa para guardar seus óculos, chaves e outros itens que usa com frequência.

3. Organize seus pensamentos

Informações novas estando fragmentadas em porções menores, como por exemplo, prefixos telefônicos separados por hífen do restante do número ou CPF separado por pontos, entre outros são mais fáceis de memorizar do que se estiverem listados por inteiro, assim como os números de contas bancárias ou os nomes completos dos colegas de classe.

4. Use todos os seus sentidos

Quanto mais sentidos você usar enquanto estiver aprendendo alguma coisa nova mais o seu cérebro ficará envolvido na retenção dessa memória.  Por exemplo, odores são famosos por despertarem memórias do passado distante, especialmente aquelas com forte apelo emocional como os biscoitinhos feitos pela vovó.

5. Expanda o seu cérebro

Amplie as regiões cerebrais que envolvem os mecanismos de aprendizado através da leitura em voz alta, do desenho ou escrevendo a informação que você quer aprender (mesmo que você jamais volte a ler suas notas). A formação de uma imagem visual de alguma coisa torna-a mais fácil de compreender e relembrar, força seu cérebro a tornar a informação mais precisa.

6. Repita as informações novas

Quando você quiser memorizar alguma coisa que você acabou de ouvir ou pensou, repita em voz alta. Por exemplo, se você acabou de saber o nome de alguém, use-o enquanto estiver falando com essa pessoa: “E aí João, como você conheceu a Camila”?

7. Espace a sua repetição

Em lugar de ficar repetindo alguma coisa muitas vezes em um curto período, como quando você está se preparando para um exame, reestude os princípios básicos após espaços de tempo crescentes — uma vez por hora, depois a cada espaço de algumas horas, depois todos os dias. Espaçar os períodos de estudo é particularmente valioso quando você está tentando dominar uma informação complicada.

8. Use mnemônicos

Artifícios mnemônicos são modos criativos de memorizar listas. Podem tomar a forma de acrônimos — como o clássico “Eu gosto de batata doce e feijão,” para lembrar as notas musicais E, G, B, D e F nas cifras da clave de sol. Para estudantes mais idosos, um sistema particularmente útil e a estória mnemônica — que é uma breve narrativa na qual cada item dá a dica para você se lembrar do item seguinte.

9. Desafie-se

Engajar-se em atividades que requerem sua concentração e exigem da sua memória ajudam a manter suas habilidades à medida que envelhece. Discutir livros, fazer palavras cruzadas, tentar novas receitas, viajar e responsabilizar-se por projetos ou hobbies que requeiram habilidades que não lhe são familiares.

10. Faça um curso

Cursos visando o aprimoramento da memória estão se tornando comuns. Escolha um ministrado por profissionais da saúde ou especialistas em psicologia ou reabilitação cognitiva. Afaste-se de cursos centrados em computadores e jogos de concentração, que geralmente não irão ajudar com seus problemas de memória na vida real. Selecione um curso focado em meios práticos de lidar com os desafios do dia a dia.

Para mais informações sobre uma infinidade de coisas que você pode fazer para proteger e desenvolver sua memória consulte o site: www.health.harvard.edu/IM. Traduzido por Angelyne do original: http://www.health.harvard.edu/healthbeat/HEALTHbeat_051006.htm.

  • Boas dicas, a memória é muito importante, é bom exercitá-la com essas dicas com certeza ficará mais fácil.

    • Angela Almeida

      Agradeço o comentário. São dicas bem simples e que podem ajudar de verdade.