Mandala Decorativa

Mandalas são imagens elegantes que representam um espaço sagrado. Mais do que apenas uma bonita arte, as mandalas também são ferramentas de poder para uma transformação positiva. Usadas por séculos nas práticas espirituais dos Indus, Budistas e Nativos Americanos (com similares em muitas outras culturas) as mandalas estão se tornando cada vez mais populares em nosso tempo. Nessa era de novidades visuais, quando imagens de destruição chegam a nós dentro de minutos da sua ocorrência, as mandalas nos oferecem um antídodo visual extremamente necessário. Elas são fontes de energia de bênção que podemos utilizar para regenerar o corpo e o espírito.

Mandala Decorativa

Mandala Decorativa

A palavra mandala é usada aqui para descrever uma imagem que é designada com uma intenção sagrada; que usa geometria, simetria, e cor para transmitir informação e conferir bênção. A palavra “mandala” significa círculo místico. Mandala é a palavra sânscrita para círculo, a forma mais básica da Geometria Sagrada. Formas circulares têm sido usadas como ferramentas para a contemplação espiritual e como representações da totalidade tanto no Oriente como no Ocidente. Elas são símbolos do arquétipo da integração.

A maioria das mandalas estão estruturadas em torno de um campo circular ou simétrico. A imagem então se torna um cálice que é a residência de presenças e informação energética. As mandalas tradicionais e modernas contêm muitos símbolos significantes, cores, e algumas vezes deidades ou tótens. Cada forma ressoa com profundos níveis de significados. Nossas mentes intuitivas estão muito em sintonia com esse tipo de código visual. Fixando o olhar numa mandala, ou criando uma nós mesmos, nos conectamos com fontes de ajuda transformacional que de outra maneira são inacessíveis. Seja entendendo essas fontes como estando dentro de nós, ou vindas do espírito além, podemos ser grandemente enriquecidos por elas.

A palavra “construtiva” aponta para o profundo serviço que as mandalas realizam. Nós estamos constantemente construindo uma imagem do mundo baseada naquilo que vemos ao nosso redor. Na cultura moderna, as imagens que recebemos vêm primariamente de interesses comerciais e políticos. Nós somos literalmente bombardeados por imagens que são designadas para nos vender produtos e moldar nossos pensamentos e emoções. As mandalas nos oferecem um tipo diferente de estímulo, baseado em conteúdo sagrado e simbólico. Os elementos nas mandalas nos conectam com nossa própria consciência profunda e com fontes de ajuda transpessoal. As mandalas nos oferecem blocos de construção visual com os quais podemos construir uma nova e inspiradora visão do mundo, e assim ajudar a revisá-lo.

Desde tempos antigos se sabe que olhar para uma mandala pode mudar o seu estado de consciência. Dentro do contexto espiritual as mandalas são altamente respeitadas como uma ferramenta para transformação. As mandalas oferecem iniciações e podem fornecer instruções para a prática espiritual de uma pessoa. Principalmente através do crescimento do Hinduísmo e Budismo no Ocidente, fomos re-introduzidos nessa função de elevar o espírito das mandalas. Muitas outras tradições, incluindo religiões indígenas em torno do mundo, também trabalham com imagens que podem ser consideradas mandalas ou que compartilham seu objetivo sagrado. Qualquer que seja o seu caminho espiritual, você pode se beneficiar meditando sobre uma mandala. A grande beleza dessas imagens o convidam para abrir e expandir sua atenção. Figuras representadas nas mandalas podem também lhe ajudar a se conectar com espíritos guias que podem lhe ajudar a navegar os mares abertos da consciência.

As mandalas apoiam a expansão da consciência porque a geometria simbólica e o padrão de informação delas ressoam dentro de nós em muitos níveis. As imagens visuais funcionam como códigos chaves – elas nos dão acesso a níveis de consciência que estão potencialmente sempre ao alcance, mas que não são atingidos. Uma mandala mantém aberto um portal nessas dimensões mais vastas do ser e do mundo. Isso nos ajuda a ir além das pressões limitantes da consciência diária para um espaço onde podemos mergulhar fundo e voar alto.

Uma maneira de otimizar a sua meditação com mandalas é acrescentar os seus outros sentidos. Os diferentes elementos sensoriais se completam uns aos outros para aumentar a sua experiência. Você pode acrescentar a dimensão do cheiro queimando incenso ou usando óleos essenciais; Você pode criar uma tapeçaria de sons com a sua música de meditação favorita. Acendendo velas ou mesmo usando um vestimenta especial podem também ajudar a estabelecer o tom da sua viagem. Permita a sua respiração se acalmar e se aprofundar enquanto você olha a imagem e permita que a mandala o leve aonde você quiser ir. Você estará vivenciando um ritual que tem sido valorizado através dos tempos.

Mais e mais pessoas usam as mandalas para aumentar a sua saúde, tanto física como emocional. Algumas mandalas são especificamente criadas para a cura, mas parece que quase todas as mandalas transmitem uma mensagem de restauração. A estrutura das mandalas (usualmente simétricas e centradas) trabalha junto com sua intenção inerente de bênção para dar conforto àqueles em necessidade.

As mandalas transmitem que a harmonia é possível, mesmo em tempos de caos e mudança. Quando você senta para olhar uma mandala, os dois lados do seu cérebro e corpo podem ficar em equilíbrio. O seu sistema nervoso pode abandonar o modo lutar-ou-fugir e entrar num estado de repouso. À medida que os seus olhos seguem o padrão em direção ao centro da imagem, você é levado para o centro – de você, dos seus sentimentos. Ao mesmo tempo você se abre para uma consciência naturalmente expandida. Você entra num estado de relaxamento. Isso não apenas ajuda aos sistemas do seu corpo de atuar otimamente, como também ajuda a sua cura emocional. A força constante de bênção da mandala o envolve em seu campo energético, de modo que mesmo sentimentos difíceis podem vir à superfície e ser processados nesse abraço gentil.

À medida que você olha para a mandala permita seus olhos se focarem no centro. O centro representa a unidade subjacente à toda a diversidade do mundo físico. Agora permita seus olhos se expandirem para incluir o próximo círculo no desenho da mandala. A imagem do círculo representa a noção de que o tempo não tem início nem fim. Tanto a região mais afastada do espaço como o núcleo mais interno do átomo pulsam com o mesmo ritmo da energia da criação. O ritmo está dentro e fora de você.

Observe os elementos do desenho da mandala que apontam para fora, eles ilustram o desenvolvimento da nossa compreensão. Quando o coração se abre a compreensão surge. A parte mais externa da mandala representa o mundo da forma, o mundo material que os sentidos nos mostram, a ilusão da separação, de limites bem definidos.

Olhe agora para a mandala, permitindo que as diferentes formas e padrões surjam naturalmente, mantendo o olhar levemente desfocado. Olhe para o centro da mandala e sem mover seus olhos, gradualmente comece a expandir seu campo de visão. Continue expandindo sua visão até incluir tudo dentro de um ângulo de 180 graus. Note que toda esta informação já estava lá, você apenas se tornou consciente dela. Agora lentamente reverse o processo voltando a refocar o centro da mandala. Agora gentilmente feche os olhos. Talvez você ainda possa ver a mandala com o olho da sua mente. Os padrões da criatividade representados por estas formas primordiais expressam as forças fundamentais da natureza. Eles governam o mundo e governam você. Visite: Mandala Decorativa