Lula: O Filho do Brasil (2009)

direção: Fabio Barreto

elenco: Rui Ricardo Diaz, Gloria Pires, Cléo Pires, Juliana Baroni
país: Brasil
gênero: drama
ano: 2009.

Lula o filho do Brasil.. realmente é um dos brasileiros brilhante como muitos anônimos existentes neste maravilhoso pais de desigualdades absurdas.. Nascido no agreste pernambucano e caçula de uma família miserável, Lula é um fenômeno único de superação e que nos mostra um brasileiro simples que apesar de sua pouca formação acadêmica mostrou-se um gênio da politica colocando muitos doutores para trás.. um brasileiro que nasceu numa região totalmente esquecida.. uma história sofrida que muitos brasileiros passam; mas correndo atrás de uma vida melhor nunca desistindo de seus sonhos e objetivos este é um grande exemplo de luta e perseverança.

Lula: O Filho do Brasil (2009)

Lula: O Filho do Brasil (2009)

Nesse filme vemos a força do amor de uma mãe.. que não precisou nenhuma formação acadêmica para educar seus filhos.. somente o bom senso e amor.. uma mãe que com pulso criou um homem que se transformou num dos presidentes mais popular que o Brasil já teve..

O filme descreve os primeiros 35 anos da vida de Luís Inácio da Silva, não do politico que conhecemos.. é logico que foi nessa época que tudo começo.. mas o filme mostra que tudo começou sem objetivos de poder.. mas sim de melhorar a vida dos trabalhadores.. numa época que nosso pais vivia uma situação muito conturbada, trazendo perigo para os que não concordassem com os repressores.

O desenrolar da história começa com a infância miserável no Nordeste e nas palafitas de Santos, passando por amores e tragédias familiares até chegar à glória operária; uma história de 35 anos tão rica em detalhes e acontecimentos importantes é uma tarefa difícil.. mas conseguiram passar as dificuldades que esse homem brilhante viveu e sofreu.

Um menino que apanhou do pai, a mãe que precisava esconder que os filhos iam à escola. Abandonada pelo marido agressivo (papel de Milhem Cortaz), que se mandou para São Paulo, Lindu decide segui-lo anos depois. Após uma breve estada em Santos, pega a filharada para se instalar na capital paulista. São curiosas e afetivas as passagens de Lula na infância e na adolescência, sobretudo pelas carismáticas atuações de Felipe Falanga e Guilherme Tortolio. Nesse filme vemos que a formação familiar do presidente, calcada muito mais na figura da mãe que do pai – que largou duas vezes a família. O Lula estudante de curso técnico. Recebendo um diploma que para a família tinha o valor de um “PHD”.

A história de seu primeiro amor, que morre durante o parto com o bebe.. uma tragédia.. que mostra o Brasil de quem não tem recursos. Depois de tudo.. lágrimas com a morte de sua primeira esposa e de seu primeiro filho. Sua mãe em outro tempo.. mas muito sofrimento.. a tortura do irmão e o episódio de sua prisão foi escoltado ao enterro, pois se encontrava preso.

Outro aspecto muito interessante que a autora destrincha é a extrema habilidade política, precocemente desenvolvida; em especial em momentos de grande tensão política. Os relatos sobre as greves de metalúrgicos de 1979/80 são bem produtivos para entendermos certos fenômenos atuais.

Sem compromisso politico Lula entra para o sindicato.. sempre se aconselhando com sua mãe Dona Lindu representada pela extraordinária Gloria Pires – que transmite todo afeto que a mãe de Lula tinha pelos filhos.. representação unicamente do talento da atriz. Ali está o verdadeiro enfoque da vida dura do sertão e do êxodo rural brasileiro..

O filme apesar de mostrar um pouco da ditadura vivida na época.. trata pouco de politica,

Todas as entrevistas que compõem o livro, que o filme foi baseado, foram realizadas entre 1993 e 1994, de modo que não pega o período como presidente. Chega a ser engraçado porque, em alguns relatos, há assertivas do tipo “se ele chegar a Presidente”. A finalidade do clássico é retratar a história até a fundação do PT.

Todo relato é fundamental para entender a origem, a formação e, as políticas desenvolvidas pelo governo.

A raiz da direita no Brasil, mesmo passado os 500 anos, ainda existe, visto que temos mentalidades que pobre não pode dirigir uma nação. Lamentável. Uma pessoa ser pobre, não quer dizer que a mesma é incompetente. O projeto educacional no Brasil foi idealizada para que os filhos dos ricos conseguisse o conhecimento, e assim, continuar governando a nação. Sendo firmado e reconhecido pelo povo. O único governo que conseguiu transferir renda aos pobres, bem como gerar emprego. Muitos criticam por não terem conseguido o almejado poder com formação acadêmica incomparável a do ex- Presidente.. o criticam talvez por ciúmes.. vejam bem não entendo nada de politica.. analiso como mera componente de uma nação que todos lutam.