Liquidez – Análise Através de CCL e ILC

Na administração financeira de curto prazo, a liquidez deve ter prioridade para administrador, sob pena de ver a empresa incorrer na insolvência (incapacidade de pagar as dívidas dentro do prazo).

Análise da liquidez de uma empresa

Veremos na análise dessa liquidez, as duas medidas a seguir: o capital circulante líquido e o índice de liquidez corrente.

Para calcular o capital circulante líquido de uma empresa, podemos utilizar qualquer uma das equações abaixo, conforme tenha as informações disponíveis:

CLL = AC – PC
ou

CLL = (PNC + PL) – ANC

Onde:
AC => Ativo Circulante;
PC => Passivo Circulante;
PNC => Passivo Não Circulante;
PL => Patrimônio Líquido;
ANC => Ativo Não Circulante.

Os Ativos Circulantes e que compõem o CCL são financiados por recursos de longo prazo, ou seja, capital próprio e de terceiros.

Isso é bom para que a empresa possa honrar seus compromissos, já que significa uma folga financeira. Porém, é bom, em se tratando de liquidez e não de rentabilidade.

Por conta das atividades das empresas, poderá haver uma das 3 situações possíveis no CCL de uma empresa.

I – CCL > 0 (AC>PC)

Favorável à liquidez, tendo recursos de LP financiando aplicações de CP.

II – CCL = 0 (AC=PC)

Embora ainda não esteja com CCL negativo, mas, as aplicações de CP estão sendo totalmente financiadas por dívidas de CP, necessitando aí de fazer ajustes, no sentido de começar a realizar negócios onde seja possível um prazo maior para pagar.

III – CCL < 0 (AC<PC)

As dívidas de CP financiando aplicações de LP. Situação em que está acontecendo o inverso do que deveria. Aqui até poderia ser bom ao pensar em rentabilidade, mas, para a liquidez da empresa é uma péssima situação.
Para que uma empresa com CCL negativo tenha liquidez, precisaria que essa empresa comprasse a prazo e vendesse à visa, quando seria observado o prazo médio de pagamentos a fornecedores maior do que a rotatividade dos estoques.

Outra coisa, é que nem sempre terá tranquilidade somente por ter um CCL positivo não. Por, exemplo, se as contas a pagar tem um prazo muito inferior às contas a receber e a empresa não tiver o capital de giro suficiente para atender necessidades do período, pode ter dificuldades financeiras, mesmo com CCL positivo.

Índice de Liquidez Corrente

Índice de liquidez corrente - CCL

Índice de liquidez corrente – CCL

Além de analisar a liquidez da empresa observando o CCL, também poderá usar essa outra ferramenta para observar como anda a solvência da empresa.

Para calcular o Índice de Liquidez Corrente (ILC) devemos aplicar a fórmula:
ILC = Ativo Circulante
Passivo Circulante

Através desse índice vamos saber o quanto existe, por exemplo, de ativo circulante para cada R$ 1 de recursos
de terceiros exigível curto prazo.

A interpretação para o Índice de Liquidez Corrente (ILC) é a seguinte:

  • ILC > 1,0 => CCL é positivo;
  • ILC = 1,0 => CCL é nulo;
  • ILC < 1 => CCL é negativo

Quanto maior for esse índice, maior será a capacidade da empresa em honrar seus compromissos de curto prazo.

Depois de avaliar tanto Índice de Liquidez Corrente e o CCL, é possível dizer que o CCL indica se tem ou liquidez, mas não mensura o quanto, assim como acontece no ILC.

Exemplo:

Empresa AC PC
X 900.000 700.000
Y 2.000.000 1.800.000

Empresa X:

  • CCL = 900.000 – 700.000 = 200.000
  • ILC = 900.000 / 700.000 = 1,28

 

Empresa Y:

  • CCL =2.000.000 – 1.800.00 =2200.000
  • ILC = 2.000.000 / 1.800.000 = 1,11

As duas empresas apresentam um Capital Circulante Líquido de R$ 200.000, porém, um ILC diferente, onde esse índice mostra que a empresa “X” tem melhor solvência no curto prazo, ou seja, para cada R$ 1 de dívida no curto prazo, a empresa “X” tem 1,28 aplicado no no curto prazo em condição de se transformar em dinheiro.

Outros assuntos de Introdução à Administração Financeira

Introdução à Administração Financeira