Lei Geral da Copa e Como Ela Ganhou uma Dimensão Maior do que Devia

Lei Geral da Copa

Lei Geral da Copa

A Lei Geral da Copa tem sido um dos assuntos mais discutidos nos últimos tempos no Brasil, afinal somos o país do futebol e a próxima sede do campeonato mundial do desporto bretão, então nada mais justo que gastar nosso precioso tempo na discussão dessa lei certo? Errado.

Em meio a chutes no traseiro e questões de soberania nacional, Brasil e FIFA parecem cada vez mais desentrosados. O maior exemplo de como dificultar o simples e grande ponto de desacordo entre a Presidente, o Congresso e a FIFA é a autorização da venda de bebidas alcoólicas nos estádios durante a Copa.

Como se sabe, a FIFA tem como um de seus patrocinadores uma marca de cerveja, por isso e compreensível que pretenda colocá-la a venda durante as partidas. Também me parece razoável a alegação da base parlamentar de que a restrição a venda de  bebidas alcoólicas nos eventos esportivos( como clama o estatuto do torcedor ) é uma ferramenta de combate a violência.

Como resolver o problema? Simples. Vende-se bebida durante um mês (12/06 a 13/07) e depois volta tudo a ser como era antes. Fácil, rápido, sem complicações, sem chutes no traseiro e muito menos ruptura da soberania nacional