Inovação é a Solução! – Parte II

Alguns Exemplos Nacionais de Inovação

Este artigo é uma continuação de: Inovação é a Solução – Parte I

O Brasil não costuma investir numa inovação antes de que seu mercado se consolide. Isso é muito ruim para nossa economia, pois a inovação está em sair na frente e lucrar com isso. Acabamos investindo em mercados dominados por outros países e são raras as vezes em que aproveitamos um nicho de mercado* de forma plena. Mesmo quando dominamos uma tecnologia, fatores macroeconômicos* acabam por prejudicar seu desempenho. Haja visto o exemplo da indústria canavieira e da grande produção de álcool combustível na época do pró – álcool nas décadas de 1970 e 1980, que quase nos livrou da necessidade da importação de petróleo, principal componente da dívida externa de então, além de gerar novas tecnologias no processo e novos produtos derivados da cana-de-açúcar, incluindo o desenvolvimento da biotecnologia, em empresas como a Copersucar. Infelizmente, em parte, o petróleo voltou a baratear no mercado internacional e os esforços nacionais acabaram quase sucateados.

Cabe, a partir dos exemplos passados, não cometer os mesmos erros estratégicos e utilizar a inovação em áreas nas quais possamos nos destacar.

– Novas Tecnologias de construção (7)

Uma tecnologia totalmente desenvolvida na Unicamp, para construção modulada de unidades residenciais ou edificações para áreas de saúde e educação, o sistema pré – fabricado em cerâmica vermelha foi adotado pela Prefeitura da cidade de Passos para a construção de casas populares. “A principal vantagem do sistema é a economia”, explica o coordenador e idealizador do projeto, arquiteto Joan Villà, do Laboratório de Habitação do Núcleo de Desenvolvimento da Criatividade (Nudecri) da Unicamp. Em média pode-se reduzir o custo em até 25% em relação aos métodos convencionais de construção.

O projeto chamado “Quadras em Condomínio” foi o único de Minas Gerais aprovado pela Caixa Econômica Federal pelo processo de mutirão. Um investimento aproximado de R$ 540 mil propiciou na primeira fase a construção de 110 casas para famílias de baixa renda. Na segunda fase do projeto serão construídas mais 110 unidades. Os compradores terão a opção de dois tipos de construção: térreas ou sobrados. Nas duas categorias a área será de 55 m², dispondo de dois dormitórios, sala, cozinha, banheiro, área de serviço e alpendre.

O projeto procura integrar no mesmo quarteirão funções urbanas que geralmente encontram-se separadas em loteamentos populares. O arquiteto Joan Villà explica que o trabalho inova ao dispor lotes residenciais em volta de um espaço central, onde se situam as quadras esportivas e espaço para recreação infantil. “Desta forma a área de lazer ficará localizada na parte interna do condomínio, inclusive abrigando um salão de festas e uma creche, oferecendo assim maior segurança para os moradores”, esclarece.

– Medicina & Biotecnologia

Vacina contra Febre Reumática que auxiliará combate a doenças Cardíacas(8)

O Laboratório de Imunologia do Incor, ligado à Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, adotou três linhas de pesquisa, que correm em paralelo, para o desenvolvimento de uma vacina:

1ª – Partindo de uma seqüência de peptídeos*, e coordenado pela médica Luiza Guilherme Guglielmi, a abordagem prevê “…criar uma vacina que desabilite a ação [da bactéria] estreptococo sem efeitos colaterias para os tecidos cardíacos.”

2ª – O laboratório tenta empregar proteínas recombinantes como vetor de mensagens químicas de forma a “ensinar” as células T a distinguir os tecidos cardíacos, de organismos agressores.

3ª – Uma possível vacina de DNA.

O laboratório, coordenado pelo professor Jorge Kalil, conta com uma “biblioteca” de tecidos de pacientes que podem ser reproduzidos indefinidamente em cultura, além de várias linhagens de linfócitos T capazes de serem replicados pelo mesmo processo. As projeções mais otimistas são de que uma vacina efetiva seja criada nos próximos 10 anos.

A pesquisa, orçada em US$ 3 milhões, recebeu recursos da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) e do Laboratório Teuto-Brasileiro, empresa conhecida pela produção de medicamentos genéricos.

Uma vitória nesse campo significa milhões de dólares em royaltyes* da patente para o Brasil.

Inseticida de Alvo Preciso que mata mosquito da dengue sem prejudicar outros animais(9)

Um produto criado por pesquisadores brasileiros da Embrapa (Empresa de Pesquisa Agropecuária) é capaz de matar o mosquito da dengue sem prejudicar outros animais ou plantas. Ótima notícia para o meio ambiente.

O produto, desenvolvido em parceria com a Bthek Biotecnologia, uma empresa de Brasília, ataca tanto o Aedes aegypti (mosquito da dengue), quanto os insetos do gênero Simullium, os infernais borrachudos. O bioinceticida é um preparado de cultura da bactéria Bacillus thuringiensis, usada em diversas aplicações do gênero.

“Podemos ingerir, que não acontece nada para nós”, diz a cientista Rose Monnerat, da Embrapa Recursos Genéricos e Biotecnologia, líder da pesquisa.

Um novo meio de cultura e uma formulação do produto tiveram de ser desenvolvidos para que o inseticida se adaptasse a suas condições de uso. Após passar em diversos testes de segurança e eficácia, o Bt-Horus, como é chamado o inseticida, foi registrado no Ministério da Saúde, e a empresa poderá participar de licitações para compra de material para o combate à epidemia. Alguns carregamentos já foram vendidos a agropecuaristas de Santa Catarina, diz Rose.

GLOSSÁRIO

Macroeconomia – Parte da ciência econômica que focaliza o comportamento do sistema econômico como um todo(13).

Nicho de Mercado – Divisão de um mercado. Ex: Automóveis de alto desempenho são um nicho de um mercado maior, o de automóveis.

Peptídeos – Proteína de baixo peso molecular, formada de aminoácidos unidos por uma ligação peptídica (ligação entre os grupos carboxila e amina de dois aminoácidos, com a eliminação de uma molécula de água)(14).

Royalty – Valor pago ao detentor de uma marca, patente, processo de produção, produto ou obra original pelos direitos de sua exploração comercial(13).

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

(7) www.unicamp.br. Solução Unicamp – Casas Populares.
(8) Barbosa, Alexandre. Vacina Contra Febre Reumática. Scientific American Brasil, maio/2003. Editora Duetto.
(9) Garcia, Rafael. Inseticida de Alvo Preciso. Scientific American Brasil, junho/2005. Editora Duetto.
(13) Sandroni, Paulo. Dicionário de Economia e Administração, Nova Cultural, 1996.
(14) Grande Enciclopédia Larousse Cultural. 1998. Nova Cultural.