Inferno – O que é e Onde fica?

Muitas vezes ouvimos as pessoas dizerem “vá para o inferno!”, ou ainda “minha vida está um inferno!” e muitas outras ainda pensam que não existe tal lugar e que ele é aqui mesmo, sobre a face da terra. Há ainda outros, que por terem vivenciado os piores momentos de uma grande guerra, não encontram parâmetros para definir inferno como algo diferente do que passaram ali, ouvindo as explosões de bombas e vendo muitos corpos mutilados ao seu lado.

Onde é o Inferno?

Onde é o Inferno?

Para entendermos um pouco mais sobre esse lugar que atemoriza muita gente, enquanto que outras nem sequer se dão ao luxo de procurar saber do que se trata, vamos recorrer a alguns trechos da Bíblia, que é a fonte mais segura e confiável para esclarecermos estas e outras dúvidas a este respeito.

Em primeiro plano, é preciso definir se realmente se trata de um lugar ou um estado de ser, como muitos imaginam, e para isto buscamos a seguinte passagem: “Os ímpios serão lançados no inferno, e todas as nações que se esquecem de Deus” – Salmo 9:17 e “A morte os assalte, e vivos desçam ao inferno; porque há maldade nas suas habitações e no meio deles” – Salmo 55:15. Para clarear ainda mais o nosso entendimento quanto a esta questão específica, vamos analisar o que o Senhor Jesus nos fala na história do rico e de Lázaro, descrita em Lucas, capítulo 16 a partir do verso 19: “Havia também um certo mendigo, chamado Lázaro, que jazia cheio de chagas à porta daquele. E no inferno, ergueu os olhos, estando em tormentos, e viu ao longe Abraão, e Lázaro no seu seio. E, clamando, disse: Pai Abraão, tem misericórdia de mim, e manda a Lázaro, que molhe na água a ponta do seu dedo e me refresque a língua, porque estou atormentado nesta chama”.

Pois muito bem, aqui fica bastante claro tratar-se de um lugar, e não muito agradável, pois o que a ele foi condenado, ardia em chamas que nunca se apagam. A dor, a aflição, a angústia e a solidão sofridas pelo rico eram o seu estado de ser, e aí está a diferença entre aquelas duas situações. Pelo que pesquisei, a palavra se originou da queima dos detritos, ou lixo, que a população lançava em certo local e ateava fogo, que não se apagava devido aos gases produzidos pela decomposição orgânica. E, para corroborar com esta breve descrição, vamos à explicação dada no Evangelho de Marcos: “E, se a tua mão te escandalizar, corta-a; melhor é para ti entrares na vida aleijado do que, tendo duas mãos, ires para o inferno, para o fogo que nunca se apaga, onde o seu bicho não morre, e o fogo nunca se apaga” – Capítulo 9 a partir do verso 44.

E então, onde fica? Já vimos que é um lugar, um local físico e não imaginário ou um estado de ser, e para melhor entendimento, vamos analisar agora o que aconteceu com o próprio Senhor Jesus, logo em seguida à Sua morte na cruz do Calvário, estudando a passagem contida em Efésios 4:9, que nos diz: “Que significa ‘Ele subiu’, senão que também havia decido às profundezas da terra?”. Cristo foi ao inferno, portanto às profundezas da terra, lá no meio do magma, carregando sobre si toda a imundícia dos pecados da humanidade, sua impiedade e iniqüidade, pagando em Seu corpo e no Seu sangue o preço pela salvação do homem, para que todo aquele que nEle crê não pereça, mas tenha a vida eterna. Agora, já temos condições de escolha. Para onde queremos ir?